OAB/São Paulo também sai em defesa da Justiça do Trabalho

OAB/São Paulo também sai em defesa da Justiça do Trabalho

A exemplo de outras entidades da Advocacia, seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil discutiu a possibilidade de extinção da Justiça do Trabalho e o fim do Ministério do Trabalho

Redação

11 de janeiro de 2019 | 16h56

OAB/SP. Foto: José Luis da Conceição/OAB SP

A Ordem dos Advogados do Brasil, em São Paulo, informou nesta sexta, 11, que vai ‘defender a Justiça do Trabalho’ e que ‘pretende discutir a volta do status e estrutura de Ministério do Trabalho’. O outras entidades da advocacia e da magistratura já haviam se manifestado preocupação com o tema, como a Associação dos Magistrados Brasileiros, a Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público e a Associação dos Advogados de São Paulo.

Na quarta, 9, quando retornou às atividades ordinárias da Seção São Paulo, a diretoria da OAB reuniu-se com conselheiros seccionais e federais e diretores da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (CAASP) para debater temas da ‘pauta nacional da maior relevância para a advocacia e cidadania, a possibilidade de extinção da Justiça do Trabalho e o fim do Ministério do Trabalho’.

O presidente Jair Bolsonaro acenou com a possibilidade de extinguir a Justiça do Trabalho, há duas semanas, em entrevista ao SBT.

O encontro na OAB em São Paulo foi dirigido pelo advogado Caio Augusto Silva dos Santos, presidente da entidade.
“A Ordem de São Paulo defenderá a Justiça do Trabalho, assim como pretende discutir a volta do status e estrutura de Ministério do Trabalho”, destacou a entidade, em nota divulgada nesta sexta, 11.

Para pôr em prática esse posicionamento, a OAB/SP vai ‘organizar um movimento de conscientização da indispensabilidade e da necessidade de aprimoramento da Justiça do Trabalho, visando, dessa forma, sensibilizar a sociedade sobre a importância da reinstituição do Ministério do Trabalho’.

A Ordem em São Paulo quer ‘reforçar a percepção da Advocacia como instrumento fundamental para a plena realização da Justiça, repudiando todas e quaisquer manifestações que desrespeitem ou menosprezem os profissionais que labutam cotidianamente em defesa dos direitos dos cidadãos’.

Audiência pública

Para deliberar sobre todas as medidas tomadas, a OAB SP vai organizar audiência pública em sua sede institucional já programada para o próximo dia 22, às 13h30, ‘com a intenção de promover debates que aprofundem as questões que notabilizam a Justiça do Trabalho e o Ministério como conquistas essenciais para a cidadania’.