OAB repudia ‘a mão pesada do Estado’

OAB repudia ‘a mão pesada do Estado’

Cláudio Lamachia, presidente da mais importante entidade da Advocacia, diz em nota pública que 'os recursos que agora parecem faltar, não foram problema para a farta distribuição de verbas para atender às emendas parlamentares'

Luiz Vassallo e Julia Affonso

19 de julho de 2017 | 17h08

Claudio Lamachia, advogado e presidente nacional da OAB. FOTO: DIVULGAÇÃO

A Ordem dos Advogados do Brasil manifestou nesta quarta-feira, 18, repúdio à possibilidade de aumento da carga tributária. “Mais uma vez o governo acena com a possibilidade de aumento de impostos, onerando ainda mais o já combalido bolso dos cidadãos”, disse, em nota oficial, o presidente da entidade máxima da Advocacia, Claudio Lamachia.

“Os recursos que agora parecem faltar, não foram problema para a farta distribuição de verbas para atender às emendas dos deputados”, disse Lamachia, em alusão à distribuição de recursos para atender a grande corrida na Câmara que discute se autoriza ou não abertura de processo no Supremo Tribunal Federal contra o presidente Michcl Temer por corrupção passiva.

Segundo Lamachia, ‘a mão pesada do Estado não se cansa de colocar os brasileiros contra a parede, mesmo que isso signifique dissipar ainda mais a renda familiar por meio de aumento ou criação de impostos’.

O texto divulgado pela OAB diz que ‘a sociedade brasileira é onerada com uma das mais altas cargas tributárias do mundo sem ter, em contrapartida, acesso a serviços públicos de qualidade, como saúde, segurança e educação’.

Lamachia sugere que ‘em vez de tirar mais recursos dos cidadãos, o governo deveria pensar em gastar melhor a enorme quantidade de tributos já arrecadada, combatendo males como a corrupção e a ineficiência do Estado’.

Tudo o que sabemos sobre:

OABImpostos

Tendências: