OAB diz que ‘está pronta’ para ir ao Supremo contra ‘manobras’ no Conselho de Ética da Câmara

OAB diz que ‘está pronta’ para ir ao Supremo contra ‘manobras’ no Conselho de Ética da Câmara

Marcus Vinícius Furtado Coêlho afirma que substituição do relator do processo contra Eduardo Cunha 'em nada contribui' para esclarecimento das suspeitas que recaem contra presidente da Câmara

Fausto Macedo e Mateus Coutinho

10 de dezembro de 2015 | 11h41

montagemoabcunha

Marcus Vinícius Furtado Coêlho e Eduardo Cunha. Montagem: Estadão

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Marcus Vinícius Furtado Coêlho condenou nesta quinta-feira, 10, o que classifica de ‘manobras protelatórias’ no Conselho de Ética da Câmara, em alusão à substituição do relator Fausto Pinato (PRB/SP) do processo contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ) – também alvo de investigação da Procuradoria-Geral da República por suspeita de corrupção no esquema de propinas na Petrobrás desmontado na Operação Lava Jato.

O presidente da Ordem disse que a entidade ‘está pronta’ para ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) com uma ação ‘para garantir o funcionamento adequado do Conselho de Ética, caso isso seja necessário’.

“Os processos nos Conselhos de Ética da Câmara e do Senado devem ser concluídos com agilidade.

[veja_tambem]

Atitudes como a substituição do relator do processo contra o deputado Eduardo Cunha em nada contribuem para o esclarecimento das suspeitas que recaem contra ele”, declarou o presidente da OAB.

Marcus Vinícius destacou que o Colégio de Presidentes das Seccionais da Ordem ‘já se manifestou no sentido de que há motivos para o mandato de Eduardo Cunha ser cassado, respeitado o devido processo legal e a ampla defesa’.

“Prezamos pelo bom funcionamento das instituições”, disse o presidente da OAB.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.