OAB quer acesso às mensagens sobre Lula hackeadas de Moro e Deltan

OAB quer acesso às mensagens sobre Lula hackeadas de Moro e Deltan

Medida foi aprovada por unanimidade pelo conselho federal da entidade; representação deve ser entregue ao STF ainda nesta segunda-feira (8)

Samuel Costa

08 de fevereiro de 2021 | 17h36

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Foto: Gabriela Biló / Estadão

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai entrar com representação no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda (8), para solicitar acesso às mensagens da Operação Spoofing sobre o ex-presidente Lula. A medida foi proposta pela conselheira do Distrito Federal, Daniela Teixeira, e aprovada por unanimidade pelo conselho da entidade na tarde de hoje. 

Em janeiro deste ano, Ricardo Lewandowski, ministro do Supremo, autorizou que a defesa de Lula tivesse acesso às mensagens trocadas entre  Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. Parte do conteúdo das conversas, ocorridas em grupos de WhatsApp e Telegram, foi divulgado no ano passado pela série de reportagens “Vaza Jato”, do “Intercept Brasil”. Desde a divulgação pelo site jornalístico, Moro nega a autenticidade das conversas e defende que a troca de informações entre juízes e procuradores é ‘normal’. O ex-juiz mantém o posicionamento mesmo agora, que a Polícia Federal apurou e confirmou veracidade das mensagens. 

A defesa do ex-presidente argumenta que as conversas vazadas comprovam que houve parcialidade de Moro e dos procuradores de Curitiba. A intenção dos advogados de defesa é utilizar o material para comprovar a suspeição de Moro e anular as sentenças firmadas contra Lula. Até o momento, o mérito não foi apreciado pelo Supremo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.