O senador, o lobby, a ética e a moral, segundo a PF

O senador, o lobby, a ética e a moral, segundo a PF

Leia a íntegra do relatório de 36 páginas em que a Polícia Federal afirma que 'não há provas da prática de corrupção passiva' pelo senador Valdir Raupp, mas questiona conduta do peemedebista em favor de empresa junto à Petrobrás

Beatriz Bulla e Rafael Moraes Moura, de Brasília, e Luiz Vassallo

17 Agosto 2017 | 10h00

Valdir Raupp foi citado na Lava Jato. Foto: André Dusek/Estadão

Em relatório de 36 páginas, a Polícia Federal concluiu que não há provas da prática de corrupção passiva pelo senador Valdir Raupp (PMDB/RO), mas questiona a conduta do peemedebista em favor de uma empresa junto à Petrobrás. A PF diz que ‘moral e eticamente’ pode ser ‘questionável o lobby praticado por um senador da República’. O documento sugere, ainda, que Raupp teria pratciado advocacia administrativa – crime que, no entanto, já prescreveu pela ‘pena em perspectiva’

Documento

COM A PALAVRA, RAUPP

Por meio de sua Assessoria, o senador Valdir Raupp afirmou “que sempre confia na Justiça e que recebe com respeito o relatório da PF’.

Mais conteúdo sobre:

Valdir Rauppoperação Lava Jato