O que o amor próprio, a alimentação saudável e o autocuidado têm em comum?

O que o amor próprio, a alimentação saudável e o autocuidado têm em comum?

Clayton Camargos*

11 de abril de 2021 | 07h00

Clayton Camargos. FOTO: DIVULGAÇÃO

Cultivar a aceitação por si mesmo deve ser um ato diário. Se para você essa parece uma tarefa difícil, saiba o que pode te ajudar a fazer as pazes com sua aparência, trazendo a beleza de dentro pra fora

É normal que na correria do dia a dia muitas pessoas acabam se deixando em segundo plano, afinal, são muitas as responsabilidades, cuidar dos filhos, do marido ou da esposa, da casa, do trabalho, entre outros. Nos colocamos à disposição para ouvir e ajudar quem amamos sempre que eles precisam, dedicamos nosso tempo ao próximo e muitas vezes esquecemos de cuidar de alguém muito importante: nós mesmos. Não se deixe em segundo plano, é muito importante dedicar um tempo para você mesmo e entender quais são as suas necessidades e desejos.

Quando falamos em ter hábitos de autocuidado, falamos em estar atento às nossas próprias necessidades e buscar desenvolver hábitos que visam o próprio bem-estar. Tais ações podem estar ligadas a questões de higiene pessoal, investimento na autoimagem, prática de atividade física, alimentação e também o cuidado com a mente. O autocuidado consiste em aperfeiçoar cada dia mais o estilo de vida, evitando hábitos maléficos à saúde e melhorando a qualidade de vida.

O ato de se cuidar é mais simples do que se pode imaginar. Existem diversas ações que podem ser adotadas no dia a dia. Como primeiro ponto, vamos colocar a questão de cuidados de higiene e beleza. Você não precisa ser uma pessoa muito vaidosa para dedicar alguns momentos do seu dia ou semana para tomar um banho relaxante, fazer uma hidratação no cabelo, pintar as unhas ou adicionar outro ritual para se sentir melhor.

Outro ponto importante na rotina de autocuidado é ir ao médico e fazer check-up de rotina para saber se tudo está bem com a saúde, caso tenha algum problema, quanto mais cedo descobrir, mais cedo vai conseguir tratar e, para isso, é necessário que exames estejam sempre em dia. Ainda no quesito saúde, a prática de atividades físicas também entra como um ponto importante, ela melhora o seu condicionamento físico para as tarefas do dia a dia, te dá mais disposição e endorfina.

Trazendo para a parte de alimentação, podemos dizer que o autocuidado traz vantagens em cadeia. A primeira pessoa impactada positivamente é quem adota o hábito de comer de forma saudável, em seguida, surgem as melhorias para a família, amigos e para a própria sociedade. Da mesma forma que todos são impactados positivamente, o contrário também acontece. Ou seja, quando as pessoas não se cuidam em relação à alimentação, abusam de gorduras, sal, açúcar branco e comem fora de hora, todos sofrem o prejuízo.

Pense da seguinte forma, o que você acharia se uma pessoa que você ama não estivesse se cuidando? Provavelmente, se magoaria, pois quer vê-la sempre bem e é isso que sua família e amigos podem sentir ao ver que você não está se dedicando à própria vida. Além do mais, se não estiver cuidando de si mesmo, pode ter dificuldades de zelar por outra pessoa, impactando de forma negativa na vida delas, um exemplo disso é que se você não se alimenta bem, consequentemente os que estão mais próximos não vão se alimentar bem também.

Equilíbrio sempre vai ser a palavra-chave. Muitas pessoas chegam ao meu consultório frustradas por não conseguirem alcançar seus objetivos e cansadas de seguir dietas restritivas que não funcionam. É importante lembrar que, talvez você não perceba, mas o nosso corpo sofre implicações de um estilo de vida corrido e estressante, desta forma é importante que se observe diferentes aspectos da rotina para saber o que está errado, ou por que não está tendo o resultado que deseja.

A escolha saudável diz respeito à ingestão de alimentos que possuem sua composição nutricional balanceada, podendo assim refletir no aumento da imunidade e na prevenção de doenças. O sistema imunológico do nosso corpo tem uma série de reações bioquímicas que dependem de minerais específicos, vitaminas e aminoácidos. Se por um lado, a alimentação balanceada pode trazer benefícios como o aumento da imunidade e prevenção de doenças, por outro, uma dieta pobre pode não oferecer os nutrientes necessários, causando sintomas físicos como dores de cabeça e no corpo, cansaço e sensação de esgotamento.

Ao se alimentar de forma saudável, com prazer e ajuda de um profissional capacitado, inevitavelmente, melhoramos nossa saúde física, fornecendo todos os nutrientes necessários para o organismo. E com isso, o tão almejado amor próprio assume seu lugar. Mas, qual a relação entre o autocuidado, a alimentação saudável e o amor-próprio? Será que nos sentimos mais confiantes quando cuidamos da nossa saúde, do nosso bem-estar? O que falta ser feito em meio a tantas incertezas que sofremos?

Não se assuste caso você perceba que tem muitos aspectos ainda desequilibrados em sua vida. Tenha calma! Comece a exercitar o amor-próprio agora, encarando tudo isso com paciência, tenha compaixão e perceba que você teve seus motivos para chegar na situação em que se encontra hoje e que é possível transformá-la. Conscientize-se de que as mudanças podem ser realizadas de acordo com o seu ritmo, sejam elas mais rápidas ou mais lentas.

*Clayton Camargos é nutricionista, especialista em autogestão em saúde pela Fiocruz, foi subsecretário de saúde do DF, professor dos cursos de medicina e nutrição da Universidade Católica de Brasília, e investigador ocasional da Universidade de Barcelona

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.