O novo ‘mindset’ do RH no pós-pandemia

O novo ‘mindset’ do RH no pós-pandemia

Erika Jardim*

24 de setembro de 2020 | 03h00

Erika Jardim. FOTO: DIVULGAÇÃO

A pandemia trouxe muitos desafios e impôs aos gestores de RH em empresas o desenvolvimento de um novo mindset aplicável dentro das organizações. Algumas tendências de mercado precisaram ser adiantadas e colocadas em prática rapidamente, exigindo uma grande capacidade de adaptação, não apenas da gestão, mas também dos funcionários. Nesse cenário de incertezas, rever, reaprender e redesenhar processos foi essencial, ao mesmo tempo em que houve a necessidade de desenvolver novas habilidades para manter a qualidade das entregas na rotina diária de trabalho para esse “novo normal” que tanto se ouve falar. 

Trabalhar remotamente 100% do tempo nos mostrou uma nova realidade e acredito que, o fato de termos focado nas pessoas, nos proporcionou chegarmos até aqui fortalecidos. Houve uma grande reestruturação no formato de trabalho, tanto no que tange o acompanhamento das atividades, como na estrutura física da empresa. Nossa liderança precisou ter um olhar crítico em relação aos times para conseguir entender as dificuldades individuais e dar o suporte necessário para que a empresa não parasse de forma alguma. 

Desde então os gestores passaram  a cobrar mais as entregas do que horas trabalhadas. Dentro desse contexto foi necessário dar um pouco mais de autonomia para que cada colaborador pudesse entender o que estava funcionando, e assim, adequasse sua rotina para seguir com as entregas de suas atividades. Em um ambiente mais dinâmico, ser multitarefas passou a ser uma exigência, não existindo mais espaço para apenas uma pessoa fazer única e exclusivamente uma determinada atividade. Todos precisam se ajudar e desenvolver um ambiente colaborativo, o que acaba elevando o nível de performance e a sinergia de toda a equipe.

A tecnologia também teve um papel fundamental nesse movimento. Foi através dela que conseguimos viabilizar e normalizar o trabalho remoto. A necessidade de maior agilidade em nossos processos surgiu logo no início e fomos em busca de ferramentas e novas metodologias de trabalho que pudessem nos auxiliar nessa transição. Hoje, seguimos estrategicamente com processos que foram implementados durante o período de pandemia, como as reuniões semanais de alinhamento de cada time, os relatórios de acompanhamento individual de atividades e a ferramenta de comunicação interna. Tudo isso proporcionou o compartilhamento de informações e documentos de forma mais ágil e aproximou todas as pessoas envolvidas nos projetos, sendo fundamental na antecipação e resolução de problemas.

Acredito que a grande capacidade de adaptação do nosso time foi essencial para seguirmos crescendo, mesmo em um momento atípico. Focar no aprendizado e responder rapidamente às mudanças, possibilitou a descoberta desse novo mindset para quebrar alguns padrões. Só assim seremos capazes de pensar em atingir metas agressivas para o funcionamento da empresa: cuidando dos nossos colaboradores primeiro.

*Erika Jardim, gestora de recursos humanos na Mega Leilões

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.