‘O Loures era um mensageiro só, a gente tinha acertado tudo com o Temer’, diz delator

‘O Loures era um mensageiro só, a gente tinha acertado tudo com o Temer’, diz delator

Assista ao depoimento do diretor de Relações Institucionais do Grupo J&F Ricardo Saud, apontado pelos investigadores da Operação Patmos como um dos 'fortes indícios' reunidos contra o presidente da República, alvo de inquérito no Supremo

Luiz Vassallo, Julia Affonso e Fausto Macedo

24 de maio de 2017 | 14h56

Michel Temer e Ricardo Rocha Loures. Foto: JBatista / Agencia Camara

O depoimento do executivo Ricardo Saud, diretor de Relações Institucionais da J&F, é apontado pelos investigadores da Operação Patmos como um dos mais fortes indícios reunidos contra o presidente Michel Temer, alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro.

Saud fez aos procuradores da força-tarefa da Operação Patmos, que mira também o senador Aécio Neves (PSDB/MG) e o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB/PR), um longo relato de supostas negociações de propinas.

PF DIZ QUE ALIADO DE TEMER ENTREGOU MALA COM R$ 465 MIL

Em um trecho do seu relato, o diretor da J&F, controladora do grupo JBS, reconstituiu um encontro com Loures.

“O Rodrigo Rocha Loures era um mensageiro só. A gente tinha acertado tudo com Michel Temer.”

“Tratamos com o Temer e não com o Rodrigo. O Rodrigo foi um mensageiro.”

‘Falta-lhe, Aécio, qualidade moral e intelectual’, diz pai do primo preso do senador

Lula quis saber ‘que bicho comeu os marrecos’ do sítio de Atibaia

Em outro ponto do depoimento, gravado em vídeo, Saud falou sobre uma propina que se arrastaria por 30 anos. “Isso é uma aposentadoria para o Michel. É uma aposentadoria para você (Loures) e o Michel. Vocês não vão ter mais dificuldade.”

Loures foi flagrado carregando uma mala com R$ 500 mil de propina da JBS na Rua Pamplona, Jardins, em São Paulo. Agentes da Polícia Federal o filmaram quando entrava apressado em um táxi.

Na segunda-feira, 22, sua defesa entregou à PF a mala, mas com R$ 35 mil a menos. Loures não explicou o que fez com o dinheiro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.