O Fla x Flu-Flu

O Fla x Flu-Flu

Delio Lins e Silva*

21 de março de 2020 | 08h00

Delio Lins e Silva. FOTO: DIVULGAÇÃO

Em inglês flu quer dizer gripe. Nem sempre é a terminologia ideal para os surtos que acometem as pessoas, mas tornou-se uma gíria pra denominar qualquer mal que cause febre, tosse e dor.

Por lá a covid-19 tem sido chamado de flu informalmente pela população, assim como tenho ouvido muita gente chamando o Novo Corona Vírus dos mais criativos nomes, na tentativa de suavizar o terrível cenário que todos estamos vivendo juntos/separados. A descontração faz parte da nossa cultura e a proximidade também. Talvez por isso seja tão dolorida essa separação pra nós, brasileiros.

Para além da separação causada pela covid-19, quero tratar de outra separação, que já dura mais de uma década e parece ter atingido sua máxima força agora: a separação política e ideológica, que chamamos pela gíria de “Fla x Flu” (lamentavelmente, pois esse é um clássico entre dois grandes times de futebol). A direita contra a esquerda, o Lulismo contra o Bolsonarismo, filhos contra pais, amigos contra amigos.

É curioso que todos estejamos discutindo nossos direitos e celebrando nossas diferenças como nunca, ao mesmo tempo em que vemos grupos fazendo tanto esforço para nos enquadrar a todos em pacotes ideológicos prontos.

Não somos binários, somos complexos. Você pode ter uma posição liberal na economia e não gostar de Bolsonaro ou discordar de determinadas ações de Paulo Guedes; Você pode ter uma posição alinhada ao socialismo e considerar Lula um candidato inviável. Não há nada de errado nisso. Errado é não pensar por si. Errado é manter a briga ativa no pior cenário que nossa geração já viveu.

Chamamos a briga política de Fla x Flu, mas no futebol, em tempos de Copa do Mundo, estamos todos juntos, torcendo pelo mesmo resultado, gritando pelos mesmos heróis. A grandiosidade do evento mundial nos leva a ter esse comportamento de união.

Minha proposta é essa: agora é a hora de deixar pra depois as desavenças políticas e trabalhar em conjunto para vencermos esse imenso desafio. Se a Seleção é a pátria de uniforme chuteiras, então podemos ser a pátria unida, vestida de solidariedade e disciplina.

Se você puder, fique em casa e use suas panelas para cozinhar e alimentar sua família. Se não puder, siga as orientações sanitárias do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde. Ajude quem precisa de ajuda, seja voluntário na sua localidade. Proteja-se e proteja o outro.

Somos o Brasil inteiro em nossas casas agora. E seremos o Brasil de mangas arregaçadas depois dessa tempestade.

*Delio Lins e Silva é advogado e presidente da Ordem dos Advogados do Brasil DF

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.