O dinheiro pode comprar a sua felicidade, se você souber como gastar!

Jennifer Lobo*

10 Junho 2018 | 06h00

Nas conversas com os amigos, sempre ouvimos aquela famosa pergunta: quanto dinheiro você precisaria para ser feliz? Depende muito. Algumas pessoas contentam-se com aquilo que para outros seria muito pouco. A verdadeira questão não está fundamentada no “quanto”, mas sim em “como” você gasta. A forma como você aproveita o dinheiro que ganhou pode gerar felicidade.

Um salário razoável (qual é o seu conceito de “razoável”?) permite que você tenha dinheiro para fazer suas compras, um programa ou pagar o aluguel, sem preocupações. Ter a segurança financeira para garantir as necessidades básicas é um tipo de felicidade, mesmo que não se dê conta por estar habituado com isso. Você está livre da “ansiedade financeira”, se não tiver muitos desejos difíceis de alcançar para o seu padrão de remuneração.

Uma das vantagens do dinheiro “a mais” é proporcionar experiências memoráveis. Uma viagem pelo mundo com todo o conforto e luxo que quiser, por exemplo. Ela será inesquecível desde que você desfrute ao máximo, deve ser um sonho genuinamente seu, e não algo exclusivamente valorizado pela sociedade. Um curso, um novo aprendizado também acrescenta muito à sua vida. Aprender uma nova habilidade contribui positivamente para a sensação de felicidade.

Ser generoso, compartilhando a riqueza com aqueles que necessitam, proporciona uma satisfação intensa. Significa, muitas vezes, impactar e mudar para melhor a vida de alguém. Participar ativa e voluntariamente de alguma causa em que acredite traz o sentimento de estar colaborando para melhorar o mundo. Esteja aberto para fazer a diferença, nem que seja no seu pequeno universo familiar, ajudando um parente em dificuldades.

O dinheiro ainda pode livrar você daquelas atividades rotineiras e extenuantes que tanto detesta e que tomam o seu tempo. Lavar roupa, cozinhar e cuidar das tarefas domésticas são responsabilidades que podem ser terceirizadas. Dupla felicidade: você atribui a missão para outra pessoa e ainda colabora para que o salário dela seja incrementado com o serviço que prestou a você.

Itens materiais valiosos podem ser adquiridos, não somente por um prazer momentâneo e consumista, apesar de que pequenos mimos pessoais também estão valendo. Se você gosta de arte, invista em quadros, esculturas, fotografias. Valorize os novos talentos e tenha consciência de que estará impulsionando carreiras. Gaste com aquilo que você apreciará por um longo tempo. Defina o que realmente é importante e abra a carteira sem medo!

Uma boa situação financeira reduz (e muito) o caminho para a felicidade. Com dinheiro, tudo fica mais simples. Ele tem o poder de proporcionar emoções, satisfações, bons hotéis e vinho francês. Você pode ter dinheiro e não ter nada disso, mas as causas da possível infelicidade serão outras, não o bolso vazio.

*Jennifer Lobo, graduada pela Auburn University, Alabama, com especialização em Comunicação e mestrado em Relações Públicas. Certificada pelo Matchmaking Institute e empreendedora. É CEO do site Meu Patrocínio

Mais conteúdo sobre:

Artigo