As revelações de Eike Batista que levaram Mantega preso na Lava Jato

As revelações de Eike Batista que levaram Mantega preso na Lava Jato

"Foi me feito o pedido de contribuir para contas da campanha, porque a campanha já tinha terminado, para acertar as contas num valor total de R$ 5 milhões", declarou o empresário

Ricardo Brandt, Fausto Macedo e Julia Affonso

22 de setembro de 2016 | 11h20

Eike Batista. Foto: Reprodução

Eike Batista. Foto: Reprodução

O empresário Eike Fuhrken Batista procurou em 20 de maio deste ano o Ministério Público Federal para prestar depoimento. Eike Batista relatou que, em novembro de 2012, teria recebido uma solicitação expressa do então ministro da Fazenda Guido Mantega para doar R$ 5 milhões para o PT.

“Foi me feito o pedido de contribuir para contas da campanha, porque a campanha já tinha terminado, para acertar as contas num valor total de R$ 5 milhões”, declarou Eike. O empresário afirmou que esteve no gabinete de Guido Mantega.

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 22, a Arquivo X, 34ª fase da Operação Lava Jato.

O ex-ministro Guido Mantega foi preso temporariamente. Ele não estava em sua residência, alvo de busca e apreensão, mas no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde acompanhava a mulher em uma cirurgia. Segundo a PF, Mantega se entregou na portaria do hospital.

Mantega é suspeito de atuar para arrecadar propinas para o PT em 2012 em contratos de duas plataformas, P67 e P70.

A Arquivo X cumpre mandados em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia e Distrito Federal. Em São Paulo, há 7 mandados de busca e apreensão, sendo um em Sorocaba, e dois de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:

Eike Batistaoperação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: