O céu é o limite?

O céu é o limite?

*Rafael Catolé

08 de julho de 2021 | 03h00

Ter uma empresa ou uma marca de sucesso pode ser o projeto de muita gente. Se ela alcançar reconhecimento nacional, ainda melhor. Mas qual é o limite para alcançar visibilidade e sucesso internacional? Para levar uma mensagem, um produto ou um diferencial regional para o mundo inteiro? Não existe uma fórmula pronta para um empreendedor alcançar o sucesso. O mundo corporativo é influenciado por diferentes circunstâncias o tempo todo.

Rafael Catolé. Foto: Divulgação.

Quando o assunto é internacionalização de marcas, o Brasil já tem grandes exemplos de sucesso. O céu pode ser o limite, mas é essencial que você saiba pilotar em diferentes ventos. Para isso, existem dicas que podem ajudar no processo – e ainda ser aplicadas localmente, também. Compartilho algumas da minha experiência.

Domine sua SWOT: toda empresa tem mapeadas suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. E é essencial que, na hora de mirar o mercado externo, todos esses pontos sejam dominados pelo time responsável por levar sua marca. A matriz SWOT tem que ser muito bem avaliada em qualquer passo do negócio, seja no lançamento ou na expansão, mas quando estamos falando de um novo mercado, a importância dela é potencializada. Sua equipe já pensou em todas as possibilidades?

Conheça seu público: lembre-se de como você precisou estudar a fundo os hábitos, as necessidades e as dores dos seus consumidores quando lançou sua marca. No processo de internacionalização, esse é um passo fundamental. Hábitos e necessidades mudam de acordo com a cultura – e você precisa estar familiarizado com ela para entrar na rotina das pessoas com naturalidade.

Entenda o mercado: para além de saber individualmente o que o consumidor do mercado externo deseja, você precisa saber tudo sobre o mercado em que está entrando. Como ele cresce? Quais são seus competidores? E os diferenciais deles? Tudo isso precisa estar na ponta do lápis para que você possa traçar a melhor estratégica de chegada no mercado.

Reconheça os seus diferenciais: falando em conhecer os diferenciais dos seus concorrentes, você sabe quais são os seus? Além daqueles sobre os quais você criou sua estratégia de marketing. Os diferenciais percebidos pelo seu público, o que é diferente na sua forma de produção ou comunicação. Por que um novo consumidor deveria se tornar cliente da sua marca?

Mapeie possíveis crises: ainda que uma crise em potencial surja na SWOT, primeiro conselho dessa lista, é essencial que todos os cenários estejam mapeados. E mais: que os planos de contingência e mitigação estejam criados, prontos para serem colocados em prática com agilidade em uma eventual necessidade. E aqui, uma dica é sempre ser transparente – em qualquer mercado que você esteja.

Reconheça suas pessoas: por fim, mas nunca menos importante, é fundamental que você reconheça o time que está com você nessa empreitada. Qualquer negócio é feito por pessoas e para pessoas e é impossível que ele seja bem-sucedido sem elas. Selecione sus equipe de especialistas e reconheça todas as conquistas do processo. Parece simples, mas é um passo muitas vezes preterido nas empresas. Joguem juntos e levem seu negócio para cada vez mais longe.

Como dica bônus, vale sempre ter em mente que a internacionalização de uma marca não acontece e nem deve acontecer de um dia para o outro. Conte com seu time e sua visão de negócios para alçar voos cada vez mais altos.

*Rafael Catolé – head de Exportação e Marketing da Natural One

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.