O cenário atual da transformação digital no comércio exterior brasileiro

O cenário atual da transformação digital no comércio exterior brasileiro

A transformação digital, mesmo em estágio inicial no Brasil, já é uma realidade a qual devemos nos encaixar e sempre inovar

André Barros*

19 de junho de 2019 | 07h00

André Barros. FOTO: DIVULGAÇÃO

A transformação digital é um processo que consiste nas novas formas de pensar e inovar com base no uso de recursos tecnológicos, aliados à gestão empresarial. Com as mudanças do cenário vivido de antigamente para o que vemos hoje, as empresas buscam alternativas mercadológicas para se enquadrarem da melhor forma possível. Sendo assim, é inegável a influência que este processo tem em todas as áreas. O Comércio Exterior, por exemplo, se modernizou e, atualmente, acompanha as principais inovações do mercado.

Os desafios encontrados neste processo são muitos, tanto no Brasil quanto em diversos outros países. Entretanto, os índices globais de aplicações de capital direcionadas à transformação digital não param de crescer. De acordo com um levantamento feito pela IDC, os investimentos em tecnologias para aprimorar este processo aumentarão 18% em 2019, se comparamos com o ano anterior. Aproximadamente US$1,2 trilhão será ou já está sendo investido.

Dentro deste contexto, as aplicações das novas tecnologias da Indústria 4.0 não categorizam uma realidade distante para as empresas. Não houve um marco exato para o início da transformação digital; o processo ocorreu de forma orgânica, não temos um registro que mostre precisamente quando tudo isso começou. Contudo, há elementos que podemos destacar para categorizar o movimento até chegar nessa nova era.

O começo de uma nova era

A transformação digital é dinâmica justamente por ter acontecido de forma tão natural. Ainda há desafios para enfrentarmos, que vão muito além da tecnologia. Precisamos, primeiramente, mudar nossa mentalidade e nos adaptar ao cenário que vivemos hoje.

E quando falamos de transformação digital, falamos dos seres humanos, da valorização do trabalho de cada colaborador de uma organização. Vemos que este processo possibilita que o trabalho humano seja potencializado ao máximo. Passamos a destinar mais tempo à execução do trabalho com qualidade, e não na repetição de operações cotidianas.

Todos aqueles termos que ouvimos tanto atualmente (como Robotic Process Automation, Big Data, Analytics, Machine Learning e entre outros), apoiam as empresas para adentrar neste processo da transformação digital. Aliás, as empresas necessitam fazer uma distinção mais efetiva dos processos que realmente dependem do conhecimento humano e daqueles que podem ser automatizados pela máquina.

Comércio exterior brasileiro

É claro que o comércio exterior brasileiro também procura formas de se modernizar e acompanhar a transformação digital. E se pensarmos no cenário vivido hoje, utilizar recursos manuais para dar conta de todo o processo é quase inviável, tendo em vista a quantidade de informações que precisam ser levantadas, categorizadas e dominadas.

Transformar-se digitalmente significa, acima de qualquer outro ponto, mudar a cultura empresarial, usufruindo das novas tecnologias. O mercado oferece soluções que apoiam atividades rotineiras, otimizando tempo e deixando de gastar esforço humano com tarefas repetitivas.

Exemplificando a transformação digital no Brasil, o Portal Único de Comércio Exterior traz modernizações relacionadas à exportação, importação e regimes especiais. A inciativa do governo federal está possibilitando ao Brasil um pé de equiparação com outros países quando o assunto é desburocratização e, além disso, também está conseguindo aumentar a competitividade brasileira no mercado internacional.

O projeto consiste em apresentar uma solução para os processos relacionados ao trânsito aduaneiro. Dessa forma, a grande quantidade de documentos necessários para realização dos trâmites legais diminuiu, bem como as exigências governamentais. As diretrizes deste projeto deixam claro o porquê de ele ser considerado o carro-chefe em modernizações governamentais relacionadas à importação e exportação, já que o processo aduaneiro pôde ser facilitado.

Para o futuro, o que esperamos?

Ao analisar a participação da transformação digital no cenário do comércio exterior, notamos que a tecnologia tem grande participação nas ações que devem ser tomadas. Mas, acima de tudo, a mudança na cultura empresarial deve ser realizada para que as empresas consigam acompanhar este movimento em qualquer área de atuação.

Retomando o dado levantado pela IDC, a transformação digital vem recebendo altos investimentos para que o processo possa seguir de forma assertiva. Isso mostra que o mercado está mudando e é necessário estar atento a todas essas modificações. Como apontei acima, o comércio exterior já vem se adaptando e dialogando com um cenário cada vez mais inovador.

Por fim, destaco a importância de estarmos atentos às movimentações de mercado. Da mesma forma que o Portal Único vem mudando a dinâmica no processo de importação e exportação, outras iniciativas podem alterar outros processos aduaneiros, modificando o cenário do comércio exterior mais uma vez.

*André Barros, CEO da eComex – NSI, tem mais de 20 anos de experiência no segmento de comércio exterior

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocomércio exterior

Tendências: