‘O braço longo da lei vai ficar curto, alcançará apenas o pé-rapado’

‘O braço longo da lei vai ficar curto, alcançará apenas o pé-rapado’

No Twitter, procurador da República Hélio Telho, da Lava Jato em Goiás, alerta que 'vai ficar muito difícil investigar e punir o criminoso do colarinho branco, que rouba milhões'

Luiz Vassallo e Fausto Macedo

26 de setembro de 2019 | 07h05

GOIANAIA- ARQUIVO/31-08-2012 / METROPOLE / Ministro Público Federal – Procurador de Justiça Hélio Telho. Foto Zuhair Mohamad / O Popular/PAGOS

O procurador da República Hélio Telho, da força-tarefa da Operação Lava Jato em Goiás, disse que a derrubada em série dos vetos presidenciais à Lei do Abuso vai tornar ‘muito difícil investigar e punir o criminoso do colarinho branco, que rouba milhões’.

“O braço longo da lei vai ficar curto”, postou Telho em sua conta no Twitter. “Alcançará apenas o pé-rapado, que furta migalhas. Muito triste e desanimador isso.”

Na terça, 24, o Senado esmagou as pretensões do governo Bolsonaro e do ministro Sérgio Moro (Justiça) e tirou de cena 18 vetos do presidente.

Na avaliação de juízes, promotores e delegados de polícia, o texto encampado pelo Congresso enfraquece a Lava Jato e missões similares e os ‘intimida’, criando ‘instabilidade jurídica’.

Em outro post, Telho parafraseia o jurista argentino Roberto Dromi. “É mais ou menos esse o texto da nova Lei de Abuso de Autoridade, após a derrubada dos vetos: Art 1°: não pode; Art 2°: em caso de dúvida, abstenha-se; Art 3°: se é urgente, espere; Art 4°: sempre é mais prudente não fazer nada.”

Tendências: