O B.O. de Doria por ameaças e injúrias

O B.O. de Doria por ameaças e injúrias

Governador de São Paulo registrou ocorrência após receber ameaças de morte nas redes sociais e em seu telefone; equipe e assessores do governador dizem que 'há indícios que os ataques partiram da rede bolsonarista, em movimento articulado do gabinete do ódio'

Pepita Ortega e Fausto Macedo

27 de março de 2020 | 10h15

João Doria

Após a reunião entre a presidência e os governadores da região Sudeste nesta quarta, 25, na qual Jair Bolsonaro e João Doria protagonizaram um embate tenso, o governador de São Paulo recebeu ameaças de morte e de invasão de sua casa. Os ataques levaram a Casa Militar do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, a cercar a residência do emedebista, nos Jardins.

A equipe e assessores do governador dizem que ‘há indícios que os ataques partiram da rede bolsonarista, em movimento articulado pelo gabinete do ódio’.

Pouco antes das duas horas da manhã desta sexta, 27, o governador registrou boletim de ocorrência. Veja trecho do documento:

Foto: Reprodução

“O Governador do Estado de São Paulo acionou a Polícia Civil em razão de fatos ocorridos na data de hoje e consistentes em ameaças e injúrias. As ameaças foram dirigidas ao telefone celular do Governador e davam conta, em tom ameaçador, de atos a serem realizados em frente sua residência pessoal, sendo que em tais mensagens era indicado o local da mesma. Os fatos ofensivos a honra do Governador, xingamentos de baixo calão, foram dirigidos também ao telefone celular acima mencionado. Nada mais”, registra o B.O. de Doria.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.