Novo delator da Lava Jato vai pagar multa de R$ 38 milhões

Mário Góes, apontado como operador de propinas na Diretoria de Serviços da Petrobrás, vai cumprir pena em casa, inicialmente, com tornozeleira eletrônica

Redação

30 de julho de 2015 | 21h00

Foto: Reprodução

Mário Góes. Foto: Reprodução

Por Julia Affonso, Mateus Coutinho e Fausto Macedo

O novo delator da Operação Lava Jato, Mário Góes, agora em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica, vai pagar multa de R$ 38 milhões por seu envolvimento em crimes financeiros, lavagem de dinheiro, corrupção e evasão de divisas no esquema Petrobrás.

AS REVELAÇÕES DE MÁRIO GÓES

A multa está prevista na cláusula 14 do acordo de colaboração que firmou com o Ministério Público Federal. O valor será destinado ao ressarcimento ‘dos bens jurídicos protegidos’, no caso os cofres da estatal petrolífera.

Lobista cita propina em obra da Baía de Guanabara

Na hipótes de a Lava Jato encontrar depositados em suas contas bancárias mais de US$ 8,5 milhões o valor excedente será acrescido à multa compensatória cível.

Góes já realizou 13 depoimentos. Ele revelou caminhos do dinheiro ilícito. Declarou que “o PT dava algum suporte” ao esquema de corrupção na Petrobrás – a Diretoria de Serviços, onde Góes transitava, era dirigida pelo engenheiro Renato Duque, indicado pelo partido. Duque está preso.

Faz parte da obrigação assumida pelo delator a indicação da estrutura hierárquica e da divisão de tarefas das organizações criminosas “de que tenha ou venha a ter conhecimento”. Também terá que apontar pessoas físicas e jurídicas utilizadas pelas organizações para a prática de ilícitos.

No acordo de delação que assinou, Mário Góes aceita também pegar uma condenação a pena máxima unificada de 15 anos. Na prática, essa pena será substituída por ‘regime fechado diferenciado’, ou seja, em sua casa, por um ano e seis meses. Depois, mudará para regime semiaberto e, cumulativamente, prestar serviços à comunidade por quarenta horas mensais.

Tudo o que sabemos sobre:

Mario Goesoperação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: