Novas vicinais: o investimento nas veias e artérias do Estado

Novas vicinais: o investimento nas veias e artérias do Estado

Marco Vinholi*

08 de maio de 2021 | 11h34

Marco Vinholi. Foto: Divulgação

A história de São Paulo tem um salto com Washington Luiz, que deu início ao seu governo há 101 anos dizendo “Governar é construir estradas”, ao passo em que colocava em prática um vasto programa, que, tempos depois, modernizou nosso Estado. O que não era para ser diferente. Afinal, estradas são o próprio significado do desenvolvimento.

São Paulo teve ao longo de sua trajetória avanços fundamentais por parte de gestores de visão. Para começar, cito Armando de Salles Oliveira, fundador da Universidade de São Paulo (USP) e também do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), passando por Adhemar de Barros, idealizador da rodovia Anhanguera, até alcançarmos o pioneirismo de Mário Covas Júnior e os primeiros processos de concessão pública-privada. Foi este processo de modernização que levou São Paulo a ter hoje 17 das 20 melhores estradas do Brasil.

Por isso tudo, acredito que não há nada mais forte e impactante para o desenvolvimento regional das cidades do interior paulista que suas veias e artérias: as rodovias vicinais. Por força da sensibilidade do governador André Franco Montoro, um vasto programa de pavimentação e de restauração de vicinais foi lançado ao longo de sua gestão. Tempos depois, o governador José Serra, participante do governo Montoro, fez substancial aporte na área, causando, na época, grande impacto em todo o interior paulista.

A aposta em vicinais traz à tona a vertente municipalista que pulsa nas veias de São Paulo, bem como de seu governador. A ideia de que o povo não é da cidade ou do Estado, separando responsabilidades de investimentos, não cabe nesta esteira de raciocínio. Pelo contrário: vale mensurar o quanto e de que forma os dois podem, juntos, melhorar a qualidade de vida das pessoas. É preciso, afinal, investir em modernos metrôs nos grandes centros, mas sem deixar de lado a população dedicada do interior paulista.

Ao criar a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, carinhosamente apelidada de “Secretaria do Interior”, o governador João Doria me deixou a clara orientação de que no nosso Estado não existe município pequeno ou grande, de classe A ou B, governado por partido aliado ou por legenda adversária. Perante aos olhos de nossa gestão, a população das 645 cidades de São Paulo merece o mesmo respeito e dedicação.

Desta forma, o governador João Doria demonstra ter o atributo basilar de um homem público: a coragem para fazer o que é certo. Fez as reformas necessárias para superar um momento de crise sem precedentes em nossa história e dar início ao maior programa de investimentos em rodovias vicinais da história do Estado de São Paulo: o Novas Estradas Vicinais, lançado no último dia 5 (4afeira), em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes.

Com uma grande equipe capitaneada pelo vice-governador Rodrigo Garcia e pelo secretário João Octaviano Machado Neto, de Logística e Transportes, João Doria deu um largo passo na retomada econômica no interior de São Paulo com o Novas Estradas Vicinais. São mais de R$ 2,5 bilhões de investimentos em mais de 3 mil quilômetros, com direito à geração de cerca de 15 mil empregos e à recuperação e à pavimentação de vias.

Conectar pessoas, facilitar acessos a hospitais e a escolas, escoar a produção, facilitar a chegada no posto de trabalho, fomentar o Turismo e a acessibilidade, reduzir acidentes e aumentar a segurança no trânsito. Como se percebe, este é um programa essencial para o desenvolvimento do Estado e que nos traz a reflexão de que, em tempos de superação de uma pandemia como a que vivemos, governar é muito mais do que construir estradas. Governar é trazer esperança e edificar as pontes para o futuro.

*Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional do Governo do Estado de São Paulo

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.