Novas tecnologias dão luz ao combate da covid-19 e reforçam esperanças de retomada econômica

Novas tecnologias dão luz ao combate da covid-19 e reforçam esperanças de retomada econômica

Rodrigo Sobral*

24 de junho de 2021 | 12h34

Rodrigo Sobral. Foto: Divulgação

A tecnologia oferece soluções para que o mundo volte ao eixo e retome suas atividades vitais. Em meio a avanços no tratamento contra a Covid-19, luzes brilham no campo tecnológico, abrindo novas perspectivas científicas e econômicas, e trazendo esperanças para o convívio coletivo.

O estímulo ao desenvolvimento criativo por meio de conexões tem como grande objetivo controlar a disseminação de um específico vírus: o SARS-CoV-2, causador da COVID-19.

Com base nesta necessidade que agora se apresenta para a humanidade, é primordial implementarmos ações práticas que, combinadas com outras medidas de proteção, tragam maior segurança para ambientes nos quais o fluxo de pessoas seja constante.

Lastros tecnológicos dão suporte para novas experiências e viram trunfo na incessante busca por conclusões assertivas contra esse inimigo endêmico.

Avanços importantes já foram conquistados, como, por exemplo, o poder da luz na desinfecção de ar, superfícies e objetos. A utilização de luz UV-C na inativação de microorganismos já vinha sendo estudada há décadas. No entanto, os alvos eram bactérias e outros vírus, até então.

A aplicação de determinadas doses de irradiação de luz UV-C pode resultar em uma redução de 99% do coronavírus em apenas seis segundos nas áreas iluminadas. Essa afirmação é baseada em estudos, como o realizado nos Laboratórios Nacionais de Doenças Infecciosas Emergentes (NEIDL) da Universidade de Boston, nos Estados Unidos.

Esse combate iluminado age secando a camada proteica e material genético do vírus, desativando sua força e acabando de vez com a sua capacidade de reprodução e rastro de infecção. A eficácia contra a Covid-19 se estende a outros vírus e bactérias.

Para isso ocorrer, é necessário que a fonte de luz apresente diferentes doses de radiação UV-C e tenha um comprimento de onda específico, pois outros tipos de soluções ultravioleta (como por exemplo UV-A e UV-B) destinam-se a outras finalidades como tratamento de doenças da pele, bronzeamento artificial, entre outros. É o caso do uso de luminárias profissionais equipadas com tecnologias que utilizam fontes de luz ultravioleta na inativação da COVID-19.

A iluminação ultravioleta marca um avanço não apenas para os esforços atuais, mas para invalidar futuros invasores invisíveis.

Trata-se de um reforço mais que bem-vindo no combate à pandemia global. Estamos falando de um vírus que ceifou mais de 3 milhões de vidas, responsável pela infecção de mais de 170 milhões de pessoas em todo o planeta, de acordo com o sistema de contagem da Universidade Johns Hopkins nos Estados Unidos.

Neste duro enfrentamento, a voz da ciência tem de prevalecer. Para os setores nos quais a implementação do home office foi possível, houve este tipo de encorajamento entre os profissionais como uma forma de frear o contágio pelo novo coronavírus.

Porém, existe uma parcela de atividades que exige colaboradores atuando presencialmente. Por este motivo é importante chamar atenção para tecnologias, tanto residenciais quanto profissionais, que possam garantir proteção para diferentes espaços fechados, como escritórios, clínicas, indústrias e transporte público. Já sem o uso destas tecnologias, se faz necessária uma maior frequência de higienização/limpeza destes ambientes trazendo às empresas maiores custos operacionais.

As escolas e instituições de ensino são um caso em específico, pois muitas delas não possuem a opção de aula remota e podem acabar exigindo a presença de professores, merendeiros e profissionais da limpeza para que o aluno possa de fato acompanhar as aulas de forma efetiva.

O setor hoteleiro é outro exemplo prático de atividade no qual a presença física dos profissionais se torna essencial, o que fomenta uma busca por medidas adicionais para ampliar a segurança das pessoas que precisam acessar estes espaços.

Atualmente existem soluções UV-C capazes de funcionar ao mesmo tempo em que as pessoas ocupam estes ambientes, desde que aplicadas de maneira correta. Como exemplo podemos citar luminárias instaladas nas paredes ou tetos dos escritórios em altura superior a 2,5mts ou ainda gabinetes UV-C posicionados nas recepções das empresas e condomínios para que seja feita a esterilização das encomendas recebidas antes que estas sejam encaminhadas aos seus destinatários.

O Brasil, especificamente, enfrenta hoje um agravamento no número de mortes e casos causados pela COVID-19 em todo o território nacional, enquanto a economia do País passa por uma profunda prova de resistência. Por este motivo é importante que lideranças políticas e o setor privado unam forças para pensarem em medidas que forneçam a grandes companhias e pequenos comerciantes ferramentas efetivas para uma retomada mais segura e confiável de suas operações.

Entre tantos ensinamentos, a pandemia do coronavírus reforça a importância da ciência e seus avanços tecnológicos ao longo dos últimos anos. Mesmo que a atual situação seja difícil, estamos tendo uma importante lição de como nos preparar contra eventuais futuros novos surtos de vírus que não são de conhecimento público. A pandemia nos permitiu desenvolver ferramentas que nos ajudarão contra um inimigo comum, evitando que ele tire vidas, mude a nossa rotina e impacte negativamente o nosso trabalho.

*Rodrigo Sobral é um especialista da Signify Brasil

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.