Nova escolha do governo para o Iphan é repudiada por arquitetos e urbanistas

Nova escolha do governo para o Iphan é repudiada por arquitetos e urbanistas

Conselhos que representam a classe pedem escolha técnica; Instituto é vinculado à Secretaria Especial da Cultura, comandada por Regina Duarte

Rayssa Motta

13 de maio de 2020 | 11h11

A secretária de Cultura, Regina Duarte, durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília. Foto: Dida Sampaio / Estadão

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e os Conselhos de Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal (CAU/UF) assinaram juntos uma manifestação de repúdio à nomeação da nova diretora-geral do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A escolha pelo nome de Larissa Rodrigues Peixoto Dutra foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), na última segunda-feira, 11, em portaria assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto.

O Iphan é um dos maiores órgãos vinculados à Secretaria Especial da Cultura, sob comando de Regina Duarte. O cargo na direção do Instituto estava vago desde a passagem relâmpago da arquiteta Luciana Rocha Feres, em 2019. Sua nomeação foi feita em 11 de dezembro e cancelada no dia seguinte pelo então secretário especial da Cultura Roberto Alvim. Até aquele momento, e desde 2016, o órgão era chefiado pela arquiteta Kátia Bogéa, também dispensada por Roberto Alvim.

De acordo com a carta dos Conselhos de Arquitetura e Urbanismo, a nova-diretora, que é formada em Turismo, não cumpre os requisitos técnicos para o cargo. “Não há no currículo da sra. Larissa Rodrigues Peixoto Dutra, formada em Turismo e Hotelaria, qualquer indicação de atuação com preservação do patrimônio histórico e cultural”, argumentam.

Antes de assumir o Iphan, Larissa passou Departamento de Desenvolvimento Produtivo e por diversos cargos no Ministério do Turismo.

O documento cita ainda a escolha de “pessoas sem nenhuma experiência técnica” para cargos nas superintendências do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraíba, “além de outras nomeações que motivaram reações contrárias da sociedade civil em Goiás e no Paraná”.

COM A PALAVRA, A SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Especial de Cultura e aguarda resposta. O espaço está aberto a manifestações (rayssa.motta@estadao.com).

COM A PALAVRA, A CASA CIVIL

A reportagem entrou em contato com a Casa Civil e aguarda resposta. O espaço está aberto a manifestações.

COM A PALAVRA, O MINISTÉRIO DA CIDADANIA

A reportagem entrou em contato com o Ministério da Cidadania e aguarda resposta. O espaço está aberto a manifestações.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: