“Nós não chegamos a ter 1 bilhão lá? Por que só 300?”

“Nós não chegamos a ter 1 bilhão lá? Por que só 300?”

PF apreendeu áudios de Wesley Batista, do Grupo J&F, na Operação Tendão de Aquiles, que investiga manipulação do mercado de ações pelo empresário e seu irmão Joesley

Julia Affonso e Fausto Macedo

22 Setembro 2017 | 13h45

Wesley Batista. Foto: Werther Santana/Estadão

A Operação Tendão de Aquiles apreendeu áudios do empresário Wesley Batista, da JBS, com dois interlocutores. Um identificado por ‘Rafa’ e outro por ‘Carlão’.

‘Rafa’ seria o diretor de controle de risco da JBS, Rafael Harada.

Wesley e o irmão Joesley foram indiciados pela Polícia Federal por uso indevido de informação privilegiada e manipulação de mercado. Os investigadores atribuem a eles ‘continuidade delitiva’. Os empresários estão presos.

Entenda por que a PF indiciou Joesley e Wesley JBS

Joesley e Wesley sabiam do ‘potencial da delação’, diz PF

Por 4 votos a 1, STJ mantém Joesley e Wesley na prisão

A PF sustenta que Joesley e Wesley se valeram dos dados relativos à colaboração premiada que fecharam com a Procuradoria-Geral da República – dados de que apenas eles tinham conhecimento, inclusive sobre o presidente Michel Temer – para especular com ações do grupo.

Em oito áudios, Wesley é o único a falar. Em alguns pede informações, em outros dá ordens.

“Rafa, você viu mais com relação à limite pra fazer NDF nos outros banco, como é que ficou Goldman, como é que ficou Morgan Stanley? E do banco Original, nós não chegamos a ter 1 bilhão lá? Por que só 300?”, questiona o empresário.

A Tendão de Aquiles investiga duas frentes de manipulação dos irmãos Batista no mercado financeiro.

A primeira é a realização de ordens de venda de ações de emissão da JBS S/A na Bolsa de Valores, entre 24 de abril e 17 de maio, por sua controladora, a empresa FB Participações S/A e a compra dessas ações, em mercado, por parte da empresa JBS S/A, manipulando o mercado e fazendo com que seus acionistas absorvessem parte do prejuízo decorrente da baixa das ações que, de outra maneira, somente a FB Participações, uma empresa de capital fechado, teria sofrido sozinha.

A segunda frente investigada na Acerto de Contas é a ‘intensa compra’ de contratos de derivativos de dólares entre 28 de abril e 17 de maio por parte da JBS S/A, segundo a PF em desacordo com a movimentação usual da empresa, gerando ganhos decorrentes da alta da moeda americana após o dia 17.

Ao pedir a prisão dos irmãos, a PF afirmou que ‘Wesley foi o responsável pelas operações de recompra de ações pela companhia JBS S/A e também pelas operações com derivativos cambiais por parte desta empresa’.

“Wesley participou também ativamente das negociações do acordo de colaboração premiada junto à Procuradoria Geral da República (PGR), conhecendo o conteúdo das informações delatadas tanto por ele mesmo, quanto pelos outros colaboradores, notadamente por seu irmão Joesley”, aponta a Federal.

“As ordens de compra de contratos de derivativos de dólar partiram expressamente de Wesley.”

LEIA WESLEY

“Tá ótimo. Faz os 700 aí do Original e depois vamo fazê… é, faz os 700 do Original e aí a gente decide se faz os 100 do BTG além dos 500 do Santander. Mas vamo ficar certo de fazer um e duzentos hoje.”

“Rafa, você viu mais com relação a limite pra fazer NDF nos outros banco, como é que ficou Goldman, como é que ficou Morgan Stanley? E do banco Original, nós não chegamos a ter 1 bilhão lá? Por que só 300?”

“Ô, Carlão, então, cê já falou com o BTG? Por que, então, vamos fazer esses 700 do Original e os 500… ou não, peraí. Tô pensando aqui. Cê já falou com quis bancos pra fazer aí?”

“Como é que tá aí? Já começou?”

“Bom dia, ó, hoje igual ontem, tá?”

“Rafa, os limite que nós temo nos banco de NDF, se nós quis é voltar a usar, é coisa que tem que aprovar ou é coisa que tá pré-aprovada nos banco? Como é que funciona isso? Me dá uma posição sobre isso. E outra, se você puder, me passa uma relação qual é os bancos e os limite que nós temos pra usar e fazer NDF.”

“Quanto que fechou o câmbio, a Petax que nós fechamo os balanço de dezembro e quanto fechou o câmbio do primeiro trimestre?”

“Rafa, passa pra mim o que que nós tamo fazendo hoje adicional ao que nós tínhamos feito na sexta-feira na JBS e checa pra mim o que a Eldorado tá fazendo hoje também? Me dá uma posição sobre isso aí.”

COM A PALAVRA, JBS

NOTA OFICIAL DA JBS

“A JBS esclarece que todas as operações de derivativos cambiais e recompra de ações seguiram trâmites e padrões normais em linha com o histórico da Companhia em operações dessa natureza. Com relação ao áudio divulgado recentemente, importante esclarecer que se tratou somente de uma consulta da direção sobre posições de crédito, procedimento usual para esse tipo de transação. Tal informação já havia sido relatada à Comissão de Valores Mobiliários e demais órgãos competentes. A JBS se mantém a disposição para colaborar com as autoridades no esclarecimento dos fatos que são absolutamente regulares e não há, portanto, nenhuma anormalidade nas operações em questão.”