Nos emails de Odebrecht US$ 50 mil para ‘Guerrilheiro’

Nos emails de Odebrecht US$ 50 mil para ‘Guerrilheiro’

Operação Omertà busca identificar beneficiário de valores supostamente ilícitos da maior empreiteira do País

Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, Julia Affonso e Mateus Coutinho

27 de setembro de 2016 | 18h59

guerrilheiro2

Rastreando as comunicações do empreiteiro Marcelo Bahia Odebrecht, os investigadores da Operação Omertà localizaram anotações sobre ‘Guerrilheiro’ e lançamentos de valores supostamente relativos a propinas pagas a este personagem, cuja identidade ainda não foi apurada.

Um repasse foi no valor de R$ 20 mil, realizado em São Paulo.

Outro, de US$ 50 mil, no Uruguai.

Os pagamentos teriam ocorrido em julho de 2004.

“No e-mail abaixo, trocado entre Marcelo Odebrecht, BJ, Bira e Henrique Valladares, no dia 6 de julho de 2004, tendo como assunto ‘programação extra’, BJ pede para Bira programar para semana que segue R$ 20 mil para Guerrilheiro, em São Paulo, e US$ 50 mil para Guerrilheiro, em Montevideu, Uruguai”, assinala relatório da Omertà.

Omertà, deflagrada nesta segunda-feira, 26, levou à prisão o ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil/Governos Lula e Dilma), por suspeita de recebimento de ao menos R$ 128 milhões da empreiteira – parte do montante teria sido destinada ao PT.

Nas mensagens por celular e também por email capturadas nos arquivos dos alvos da Omertà, inclusive Marcelo Odebrecht – preso desde 19 de junho de 2015, na Operação Erga Omnes, desdobramento da Lava Jato – os investigadores encontraram milhares de citações a agentes públicos, políticos e personagens identificados apenas por codinomes.
Um deles é o ‘Guerrilheiro’.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoOdebrecht

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: