‘Nefastas práticas’, ‘aliciadores de empresários’, ‘vértice da organização criminosa’

‘Nefastas práticas’, ‘aliciadores de empresários’, ‘vértice da organização criminosa’

Leia a denúncia do Ministério Público do Rio contra o prefeito Marcelo Crivella

Fausto Macedo e Paulo Roberto Netto

22 de dezembro de 2020 | 18h35

Preso na manhã desta terça-feira, 22, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção e participação em organização criminosa – ele é acusado de liderar um esquema de corrupção na prefeitura que se tornou conhecido como “QG da Propina”.

Documento

O esquema, segundo as investigações, consistia em pagamento de vantagens indevidas para favorecimento de empresários, como contratos com a administração pública e repasse de verbas. A intermediação ficava com o empresário Rafael Alves.

De acordo com o Ministério Público, o QG da Propina arrecadou R$ 50 milhões no governo Crivella. O prefeito diz ser “vítima de perseguição política”.

Documento

Documento

Documento

Documento

Documento

Documento

Documento

Documento

Tudo o que sabemos sobre:

Marcelo Crivella

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.