‘Necessário que a população entenda a gravidade do golpe’, diz Janaína sobre decisão de Toffoli

‘Necessário que a população entenda a gravidade do golpe’, diz Janaína sobre decisão de Toffoli

Deputada do PSL afirma em seu Twitter que ordem do presidente do Supremo de suspender investigações que tenham dados do Coaf, da Receita ou do Banco Central sem autorização da Justiça também ‘vai gerar tsunami de nulidades’

Redação

22 de julho de 2019 | 18h42

A deputada estadual Janaína Paschoal (PSL). Foto: André Dusek/ Estadão

A deputada estadual da Assembleia Legislativa de São Paulo Janaína Paschoal (PSL) afirmou em seu Twitter, que ‘é necessário que a população compreenda a gravidade do golpe em curso’. A parlamentar se referiu à decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, que suspendeu processos e investigações abertos com base em dados da Receita, do Banco Central ou do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), sem prévia autorização da Justiça.

A mensagem de Janaína foi escrita após o Estado publicar uma reportagem na qual o criminalista Yuri Sahione, presidente da Comissão de Compliance da Ordem dos Advogados do Brasil, afirma que a decisão de Toffoli vai causar ‘enxurrada de ações’ nos tribunais. A ordem do ministro vale até novembro, quando a Corte máxima leva a plenário a matéria.

“Além de uma enxurrada de ações, se não revertida, a decisão do Presidente do STF vai gerar um Tsunami de nulidades. É necessário que a população compreenda a gravidade do golpe em curso”, afirmou a deputada.

A medida de Toffoli contrariou promotores e procuradores em todo o País, que alertam para o ‘engessamento’ de investigações sobre corrupção e também contra facções criminosas e o tráfico.

A ordem do ministro foi dada no âmbito de pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL/RJ), filho do presidente, alvo de investigação do Ministério Público do Rio por suposta lavagem de dinheiro quando ainda exercia o mandato de deputado estadual fluminense.

Tendências: