A primeira noite do homem da mala na Papuda

A primeira noite do homem da mala na Papuda

Loures manteve os cabelos intactos, como solicitado pela defesa, e divide uma cela de 25m² com outros presos

Fabio Serapião, de Brasília

08 de junho de 2017 | 23h35

Rocha Loures na quarta-feira, 7, rumo à Papuda. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Flagrado em São Paulo correndo com uma mala com R$ 500 mil, o ex-assessor especial do presidente Michel Temer, Rodrigo Rocha Loures, teve nesta quinta-feira, 8, seu primeiro dia no complexo penitenciário da Papuda, no Distrito Federal.

O ex-deputado (PMDB-PR) foi preso no sábado, 3, e ficou na Superintendência da Polícia Federal em Brasília, até ser transferido para a Papuda, na quarta-feira, 7.

+ ‘O Edgar que trabalha para o presidente’

+ Nas mãos de Fachin, os cabelos do homem da mala

+ ‘O que tem a dizer sobre tal fato?’, pergunta PF a Temer sobre homem da mala

Na prisão, Loures manteve os cabelos intactos, como solicitado pela defesa. Ele divide uma cela de 25 metros quadrados com outros presos – a Secretaria de Segurança do DF não informou quantos.

O peemedebista está na ala A do bloco 5 do Centro de Detenção Provisória (CDP) e seus colegas são presos com nível superior e ex-policiais. Embora o corretor Lúcio Funaro, outro candidato a delator que também poderia comprometer Temer e o PMDB, esteja na mesma ala, os dois estão em blocos separados.

As celas do CDP da Papuda, com três beliches, podem hospedar até nove presos. Os presos têm uma rotina com banho de sol de 2 horas e o único aparelho eletrônico permitido é a televisão, que pode ser providenciada pelo próprio detento.