Mulher de Vaccari confirma empréstimo de ex-sócio de Janene

Mulher de Vaccari confirma empréstimo de ex-sócio de Janene

(*) Giselda Rousie de Lima afirmou aos delegados da Lava Jato na quarta-feira, 15, quando João Vaccari foi preso, que R$ 400 mil foi empréstimo para compra de casa de R$ 700 mil em 2008

Redação

17 Abril 2015 | 18h53

Por Fausto Macedo, Julia Affonso e Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba

A mulher do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto confirmou em seu depoimento à Polícia Federal que emprestou R$ 400 mil em 2008 de um sócio do ex-deputado federal José Janene (PP-PR) – morto em 2010 – para a compra da residência em que a família vive hoje. No endereço, Vaccari foi preso na manhã de quarta-feira, 15, e sua mulher, Giselda Rousie de Lima, ouvida coercitivamente pelos policiais.

“Recebeu o valor de R$ 400 mil em sua conta corrente a título de empréstimo de Cláudio Mente para o pagamento de parte da residência onde mora”, afirmou Giselda, ao ser ouvida por um dos delegados da Operação Lava Jato.

Claudio Mente era um dos sócios da CSA Finance Project, que é alvo da Lava Jato por ser uma das empresas da lavanderia de dinheiro montada por Janene e o doleiro Alberto Youssef, por onde escoaram milhões em recursos de contratos públicos.

Vaccari quando foi levado para depor coercitivamente em fevereiro na sede da PF em São Paulo. Foto: Felipe Rau/ Estadão.

Vaccari quando foi levado para depor coercitivamente em fevereiro na sede da PF em São Paulo. Foto: Felipe Rau/Estadão.

“O empréstimo foi quitado no ano seguinte por meio de transferência bancária” registrada em seu nome, declarou a mulher de Vaccari, segundo a transcrição do depoimento feita pela PF.

Considerado um “laranja” de Claudio Mente e Youssef, o advogado Carlos Alberto da Costa foi quem operacionalizou o pagamento e um contrato de mutuo assinado entre a mulher de Vaccari e a CRA (Centro de Reprodução das Américas – Comércio de Produtos Agropecuários Ltda).

Em seu depoimento, Giselda afirmou que não conhece Costa nem a CRA. Confirmou apenas que o dinheiro que foi depositado em sua conta em 2008 veio da CRA, empresa que pertencia a Mente. Giselda disse que tem relações de amizade com o ex-sócio de Janene e com sua mulher.

Psicóloga por formação e aos 62 anos, a mulher de Vaccari é suspeita de ter sido usada pelo ex-tesoureiro do PT para movimentar dinheiro ilícito e ocultar patrimônio.

A compra da casa em 2008, com dinheiro vindo de empresa de fachada ligada a Youssef, é uma das frentes de investigações que pesam contra Vaccari.

No depoimento, Giselda afirmou que possui rendimento mensal de aproximadamente R$ 3 mil de atividade autônoma e de aposentadoria do banco Santander.

Ela confirmou ter três imóveis em seu nome e que efetuou doação de R$ 300 mil para a filha, Nayara – também investigada pela Lava Jato por ter supostamente sido usada para ocultação patrimonial. “A origem do valor eram rendimentos meus e de meu marido”, disse Giselda.

Quanto à compra da casa, em 2008, Giselda disse que o valor pago foi de aproximadamente R$ 700 mil.

Relatório de perícia da Lava Jato mostra que o valor de declaração foi de R$ 500 mil, mas o valor efetivamente que saiu da conta de Giselda para o ex-proprietário foi de R$ 650 mil.

 

depoimento giselda

 

 

(*) Por erro de edição, valor de renda mensal foi registrado incorretamente, mas foi corrigido no texto atual.