MPF quer que Prefeitura de SP tire 400 cães abandonados de terra indígena

Promotoria recomenda que Centro de Controle de Zoonoses adote medidas para impedir que animais sejam deixados na aldeia de Jaraguá

Redação

18 de outubro de 2014 | 02h36

Por Julia Affonso

O Ministério Público Federal deu um prazo de 10 dias úteis para que o Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura de São Paulo providencie a retirada de cerca de 400 cães abandonados da terra indígena Jaraguá, na zona norte da capital paulista. No local, fica a menor aldeia demarcada no Brasil, com 1,5 hectare, e aproximadamente 800 habitantes.

Nas contas do guarani David Martim, um dos líderes da comunidade, existem cerca de 600 cães na aldeia. Ele diz que o terreno está sendo tratado como um lixão. 

“Essa noite, um caminhão soltou 20 cachorros aqui. Já deixaram animais mortos na entrada”, afirma Martim. “Muitos bichos mordem as pessoas da comunidade e trazem doença. A situação está insustentável.”

A Procuradoria também recomenda que sejam tomadas medidas para impedir que novos animais sejam deixados na região. Segundo o órgão, os animais abandonados no local têm causado doenças de pele, enfermidades transmitidas pela água contaminada por fezes e surto de pulgas e carrapatos à população.

Em dez dias úteis, o Centro deverá informar quais medidas adotará para o recolhimento dos cães e para impedir que novos animais sejam abandonados na região. O não cumprimento da recomendação e a ausência de resposta dentro do prazo, de acordo com o MPF, acarretarão a adoção das medidas judiciais e extrajudiciais necessárias.

Na última sexta-feira, 17 de outubro, a Procuradoria informou que o Centro acatou parte da recomendação e recolheu um cão da raça pit bull que havia sido abandonado na aldeia. O cachorro estava preso de forma improvisada num galinheiro devido à sua manifesta agressividade. O MPF ressaltou que, além da ameaça à integridade física das crianças e adolescentes indígenas que vivem na região, havia o risco à saúde do próprio animal, que poderia ser machucado pelos habitantes que se sentiam ameaçados.

COM A PALAVRA, A PREFEITURA DE SÃO PAULO.
O Centro de Controle de Zoonoses, ligado à Coordenação de Vigilância em Saúde, informou que recebeu do Ministério Público Federal, na última sexta-feira, 17, uma recomendação para a retirada dos cães da Aldeia Jaraguá. “O órgão estuda as medidas a serem adotadas.”

Tudo o que sabemos sobre:

MPFPrefeitura de São PauloSão Paulo