Morre um dos netos de Lula, que vai pedir autorização para sair da prisão e acompanhar sepultamento

Morre um dos netos de Lula, que vai pedir autorização para sair da prisão e acompanhar sepultamento

Arthur Araújo Lula da Silva, de 7 anos, morreu nesta sexta, 1, com sintomas de meningite, em Santo André (Grande São Paulo), e deve ser sepultado no sábado, 2

Ricardo Galhardo/SÃO PAULO

01 de março de 2019 | 13h13

Lula em dezembro de 2017 no Sindicato dos Bancários, em Brasília. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Um neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva morreu nesta sexta, 1, no Hospital Bartira, em Santo André, onde foi internado pela manhã com sintomas de meningite. Arthur Araújo Lula da Silva, de 7 anos, era filho de Sandro Luis Lula da Silva, um dos três filhos do ex-presidente com a ex-primeira-dama Marisa Letícia.

Em nota, o Hospital Bartira informou que Arthur Araújo Lula da Silva ‘veio a óbito às 12:36, devido ao agravamento do quadro infeccioso de meningite meningocócica’.

“O paciente havia dado entrada às 07h20 desta manhã com quadro instável”, afirmou o hospital.

Lula foi informado da morte do neto por Sandro Luis, que teve autorização da Polícia Federal para conversar por telefone com o pai. A Polícia Federal aguarda decisão da Justiça sobre pedido da defesa de Lula para autorizar a saída do ex-presidente da prisão para acompanhar o velório do neto.

Setores da Polícia esperam que o modelo estabelecido pelo ministro Dias Toffoli no caso da morte de Genival seja adotado. Na avaliação de agentes federais, a segurança de Lula só será garantida se a homenagem ao neto por parte do ex-presidente ocorrer em uma unidade militar. Eles consideram um risco o ex-presidente ir ao cemitério ou outro local de acesso ao público – especialmente de militantes do PT e partidos adversários.

Lula e o neto Arthur. Foto: EFE/Ricardo Stuckert/Instituto
Lula

Preso na superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde abril do ano passado, no âmbito da Operação Lava Jato, Lula deve solicitar a saída da prisão para acompanhar o velório do neto, segundo apurou o Estado.

Em janeiro, no entanto, a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena do ex-presidente, negou o pedido dele para ir ao sepultamento do irmão Genival Inácio da Silva, o Vavá. A defesa de Lula teve de recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir o direito, mas a decisão só saiu momentos antes do sepultamento do corpo de Genival e o ex-presidente não deixou a superintendência da PF. O ministro Dias Toffoli permitiu apenas que Lula se encontrasse com familiares em uma unidade militar.

A Polícia Federal foi informada da morte de Arthur e já trabalha com a possibilidade da defesa do ex-presidente obter o direito de Lula ir ao velório.

A deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) se manifestou pelo Twitter. “Presidente Lula perdeu seu neto hoje. Que tristeza. Arthur tinha 7 anos e foi vítima de uma meningite. Força presidente, estamos do teu lado, sinta nosso abraço e solidariedade. Faremos de tudo pra q vc possa vê-lo. Força a família, aos pais Sandro e Marlene. Dia muito triste”, escreveu.

Tendências: