Moro sugere ‘escritórios integrados’ contra o crime e pede união

Moro sugere ‘escritórios integrados’ contra o crime e pede união

Ministro da Justiça defendeu nesta terça, 2, no Rio, parceria da Receita, polícias e órgãos internacionais para ações de inteligência em palestra magna de abertura do VIII Seminário de Segurança da LAAD

Redação

03 de abril de 2019 | 15h03

Sérgio Moro. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) disse, nesta terça, 2, no Riocentro, que ‘pretende ser um parceiro dos estados, Distrito Federal e municípios no combate ao crime’. “É um desafio, mas podemos avançar se agirmos em conjunto”, sugeriu Moro em palestra magna de abertura do VIII Seminário de Segurança da LAAD, que acontece durante a LAAD Defence & Security, a mais importante feira de defesa e segurança da América Latina, que vai até sexta, 5, no Riocentro.

Para ele, ‘a saída é criar escritórios integrados envolvendo órgãos como a Receita Federal, as polícias e órgãos internacionais para ações operacionais e de inteligência’.

“Nosso foco no ministério é a criminalidade mais grave com base em três pilares: corrupção, crime organizado e crimes mais violentos. Já apresentamos ao Congresso um Projeto de Lei Anticrime pois entendemos que é necessário um endurecimento com os delitos mais graves”, disse.

Ele ressaltou várias vezes, durante a palestra, que a integração União, Estado e Município ‘será essencial para a diminuição dos índices de criminalidade’.

“A integração é a melhor alternativa para lidar com os poucos recursos financeiros que temos no momento”, observou o ministro.

O primeiro dia do VIII Seminário de Segurança da LAAD também foi marcado pelo Painel de Secretários de Segurança Pública, que reuniu experiências dos estados da Bahia, São Paulo, Rio Grande do Sul, Ceará e Mato Grosso.

Tudo o que sabemos sobre:

Sérgio Moro

Tendências: