Moro ‘persegue por besteira’, afirma Sarney

Moro ‘persegue por besteira’, afirma Sarney

Ex-presidente ataca juiz da Lava Jato em conversa com Sérgio Machado, que dirigiu a Transpetro por indicação do PMDB

Redação

27 de maio de 2016 | 05h04

montagemmorosarney

Sérgio Moro (esq) e José Sarney (dir). Foto: Estadão

Em um trecho do diálogo entre o ex-presidente José Sarney (1985/1990) e Sérgio Machado, que dirigiu a Transpetro durante 12 anos por indicação do PMDB, o alvo foi o juiz federal Sérgio Moro, que pôs nas ruas a explosiva Operação Lava Jato.

O próprio Machado fez as gravações com Sarney e com outros caciques do PMDB, inclusive Renan Calheiros, presidente do Congresso.Machado é investigado na Lava Jato e tem medo de cair nas mãos de Moro.

A repórter Camila Bonfim, da TV Globo, teve acesso às escutas de Sérgio Machado.

[veja_tambem]

Nesse trecho, o ex-presidente da Transpetro ataca dois ministros do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli e Gilmar Mendes.

“José Sarney: E com esse Moro perseguindo por besteira…

Sérgio Machado: ‘Presidente, esse homem tomou conta do Brasil. Inclusive o Supremo fez porque é pedido dele. Como é que o Toffoli e o Gilmar fazem uma porra dessa? Se os dois tivessem votado contra, não dava. Nomeou uns ministros de merda com aquele modelo.’

Sarney concorda. ‘Todos.’

O diálogo foi gravado em março, quando ainda estava em curso na Câmara o processo de impeachment de Dilma e a crise já se alastrava por Brasília.

José Sarney: Ela (Dilma) não sai. Resiste. Diz até a última bala.

Sérgo Machado: Não tem rabo, não tem nada.

Sarney: Acha que não tem rabo. Tudo isso foi…é o governo, meu Deus! Esse negócio da Petrobrás. São os empresários que vão pagar, os políticos! E o governo que fez isso tudo?

Machado: Acabou o Lula presidente.

Sarney: O Lula acabou. O Lula, coitado, ele está numa depressão tão grande!

Machado: O Lula. E não houve nenhuma solildariedade da parte dela (Dilma).”