Moro impõe 4 anos e 6 meses de prisão a André Vargas, em segunda condenação na Lava Jato

Moro impõe 4 anos e 6 meses de prisão a André Vargas, em segunda condenação na Lava Jato

LEIA A SENTENÇA que condenou o ex-deputado do PT por crime de lavagem de dinheiro na compra de sua casa, em Londrina (PR)

Julia Affonso, Fausto Macedo e Ricardo Brandt

06 de abril de 2017 | 12h12

André Vargas. Foto: Reprodução

André Vargas. Foto: Reprodução

O juiz federal Sérgio Moro, dos processos em primeira instância da Operação Lava Jato, em Curitiba, condenou nesta quinta-feira, 6, o ex-deputado federal André Vargas (sem partido/PR) a 4 anos e 6 meses de prisão por crime de lavagem de dinheiro, na compra de sua casa, em Londrina (PR).

“Condeno André Luiz Vargas Ilário e Leon Denis Vargas Ilário pelo crime de lavagem de dinheiro consistente na aquisição, com ocultação e dissimulação da origem e natureza dos recursos criminosos empregados, da casa situada na Rua das Bromélias”, sentenciou Moro.

Leon é irmão do ex-deputado. Os dois foram condenados em outro processo julgado por Moro. Vargas está preso pela Lava Jato desde abril de 2015. Ex-vice-presidente da Câmara, ele foi condenado a 14 anos e 4 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

“O condenado recebeu propina não só no exercício do mandato de Deputado Federal, mas também da função de Vice-Presidente da Câmara dos Deputados, esta entre os anos de 2011 a 2014, período que abarca os fatos objeto desta ação penal (maio a novembro de 2011). A responsabilidade de um Vice-Presidente da Câmara é enorme e, por conseguinte, também a sua
culpabilidade quando pratica crimes”, decidiu o juiz da Lava Jato.

Casa de André Vargas. Foto: Reprodução

Casa de André Vargas. Foto: Reprodução

Segundo Moro, a compra da casa do ex-parlamentar envolveu a lavagem de R$ 480 mil.

A acusação da força-tarefa da Lava Jato aponta que Vargas declarou a compra do imóvel por R$ 500 mil, segundo consta da escritura. Mas o vendedor, em sua declaração de rendimentos, declarou o negócio por R$ 980 mil, “preço integralmente recebido em 2011”.

O juiz da Lava Jato decretou ainda o confisco do imóvel.

A mulher de Vargas, Eidilaira Soares Gomes foi absolvida no processo.

COM A PALAVRA, A ADVOGADA NICOLE TRAUCZYNSKI, QUE DEFENDE ANDRÉ VARGAS

“A defesa reitera a inocência do ex deputado André Vargas e vai recorrer da decisão sim. A casa objeto da denúncia foi adquirida com recursos lícitos como devidamente demonstrado nos autos.”

 

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava Jato

Tendências: