Moro e Ernesto Araújo barram alto escalão de Maduro no Brasil

Moro e Ernesto Araújo barram alto escalão de Maduro no Brasil

Portaria assinada pelos ministros da Justiça e Segurança Pública, e das Relações Exteriores, prevê que Itamaraty elabore rol de servidores do governo da Venezuela que tenham 'atentado contra a democracia' e os 'direitos humanos'

Luiz Vassallo, Pedro Prata e Fausto Macedo

19 de agosto de 2019 | 17h01

Nicolás Maduro e Sergio Moro. Foto: Assessoria de imprensa do Palácio Miraflores / Jhonn Zerpa / AP; e Dida Sampaio/ESTADÃO

Os ministros Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) e Ernesto Araújo (Itamaraty) editaram, nesta segunda, 19, portaria que prevê o ‘impedimento’ de ingresso no País de ‘altos funcionários do regime venezuelano de Nicolás Maduro, que, por seus atos, contrariam princípios e objetivos da Constituição Federal, atentando contra a democracia, a dignidade da pessoa humana e a prevalência dos direitos humanos’.

“Os nomes das pessoas de que trata o caput constarão de rol taxativo a ser elaborado pelo Ministério das Relações Exteriores e, posteriormente, encaminhado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública”, diz o ato dos ministros.

Segundo o texto, ‘as pessoas listadas no rol taxativo não poderão ingressar no território nacional’.

 

Tendências: