Moro diz que sargento da cocaína ‘é ínfima exceção’ na FAB

Moro diz que sargento da cocaína ‘é ínfima exceção’ na FAB

Ministro da Justiça afirma que prisão do militar integrante da comitiva que presta apoio à viagem de Bolsonaro a Tóquio será apurada 'devidamente pelas autoridades espanholas e brasileiras'

Redação

26 de junho de 2019 | 21h22

Reprodução do Twitter de Sérgio Moro

O ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) afirmou que o caso do sargento da comitiva de militares de apoio à viagem do presidente Jair Bolsonaro a Tóquio, preso com 39 quilos em Sevilha, na Espanha, ‘é uma ínfima exceção em corporação (FAB) que prima pela honra’.

O sargento Manoel da Silva Rodrigues foi preso nesta terça, 25, pela polícia da Espanha.

Em sua página no Twitter, Moro ressaltou que o caso será ‘devidamente apurado pelas autoridades espanholas e brasileiras’.

O ministro retuitou post do presidente. “Como disse o presidente Bolsonaro, não vamos medir esforços para investigar e punir o crime.”

“O militar preso com drogas em Sevilha é uma ínfima exceção em corporação (FAB) que prima pela honra. Os fatos serão devidamente apurados pelas autoridades espanholas e brasileiras. Como disse o PR Bolsonaro, não vamos medir esforços para investigar e punir o crime”.

Tudo o que sabemos sobre:

Sérgio Moro

Tendências: