Moro dá 48 horas a Lula para entregar originais

Moro dá 48 horas a Lula para entregar originais

Juiz da Lava Jato considera 'desnecessária' uma audiência especifica para apresentação de recibos de aluguel do apartamento 121 do edifício Hill House, em São Bernardo do Campo, que teria sido adquirido com propinas da Odebrecht, segundo força-tarefa da Lava Jato

Julia Affonso e Ricardo Brandt

13 de outubro de 2017 | 12h18

Ex-presidente Lula. FOTO: GABRIELA BILÓ/ESTADÃO

O juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, deu prazo de 48 horas para a defesa do ex-presidente Lula entregar na Secretaria da 13.ª Vara Federal de Curitiba os originais dos recibos de aluguel do apartamento 121 do edifício Hill Houve, em São Bernardo do Campo, imóvel que teria sido adquirido com propinas da empreiteira Odebrecht, segundo acusação do Ministério Público Federal.

Moro manda Lula ‘esclarecer expressamente’ se tem originais de recibos

Sem margem à dúvida, recibos de Lula são ideologicamente falsos, diz Procuradoria

Documento

Moro considerou ‘desnecessária’ uma audiência formal para entrega dos documentos ou a presença de perito. “Os recibos deverão ser entregues na Secretaria deste Juízo e que os acautelará para submetê-los a perícia caso seja de fato deferida.”

O apartamento, vizinho à residência de Lula, está em nome do engenheiro Glaucos Costamarques, apontado pelos investigadores como ‘laranja’ do petista. Glaucos é primo distante do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula.

A investigação sobre a autenticidade dos recibos do aluguel que teria sido pago a Glaucos pelo uso do imóvel foi aberta por iniciativa do Ministério Público Federal, por meio de um incidente de falsidade.

Os advogados do ex-presidente rechaçam a suspeita. Eles haviam entregue à Justiça cópias dos recibos, alguns com datas inexistentes no calendário, como 31 de novembro.

Nesta sexta-feira, 13, Moro decidiu mandar a defesa entregar os originais. “A defesa tem a posse dos recibos e pode extrair cópias antes de entregá-los, o que já é medida suficiente para prevenir qualquer chance de adulteração superveniente, ainda que seja surpreendente que isso seja aventado pela defesa.”

COM A PALAVRA, O ADVOGADO CRISTIANO ZANIN MARTINS, DEFENSOR DE LULA

“Surpreende a defesa o fato de o juiz não aceitar a realização de uma audiência para a entrega das vias originais dos recibos, atestando o estado em que os documentos serão apresentados para dar total transparência ao ato.”

“Temos interesse no reconhecimento de que os documentos são autênticos, como sempre afirmamos, e atendem a recomendação de entrega feita pelo próprio juiz na audiência de 13 de setembro.”.

“Assim que formos intimados faremos a entrega dos recibos no prazo assinalado e com as cautelas cabíveis.”
Cristiano Zanin Martins

Tudo o que sabemos sobre:

Lulaoperação Lava Jato

Tendências: