Moro autoriza Dirceu em prisão estadual

Moro autoriza Dirceu em prisão estadual

Ex-ministro da Casa Civil no governo Lula ficará em 'ala reservada, com boas condições de segurança e acomodação'

Redação

02 de setembro de 2015 | 15h41

Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

Dirceu é transferido para a cadeia estadual. Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

Por Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, Julia Affonso e Fausto Macedo

O juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Operação Lava Jato, autorizou nesta quarta-feira, 2, a transferência do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil/Governo Lula) para o Complexo Médico-Penal, em Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Dirceu estava preso na carceragem da Superintendência da Polícia Federal na capital paranaense, base das investigações, desde 3 de agosto, quando foi preso na Operação Pixuleco, desdobramento da Lava Jato.

O pedido de transferência foi feito pela defesa do ex-ministro na segunda-feira, 31. O criminalista Roberto Podval, defensor de Dirceu, argumentou que embora a PF esteja tratando seu cliente ‘com correção’ a cela na Custódia em Curitiba é muito acanhada. Segundo o juiz Moro, no Complexo de Pinhais o ex-ministro ficará ‘em ala reservada, com boas condições de segurança e acomodação’.

“Fato notório que a carceragem da Polícia Federal, apesar de suas relativas boas condições, não comporta, por seu espaço reduzido, a manutenção de número significativo de presos”, observou o magistrado na decisão. “Tanto por isso autorizei, anteriormente, a remoção de outros presos relacionados à Operação Lava Jato para o Complexo Médico-Penal, local que vem atendendo satisfatoriamente às condições de custódia dos presos provisórios.”

José Dirceu foi indiciado pela Polícia Federal na terça-feira, 1. A PF imputa a Dirceu os crimes de formação de quadrilha, falsidade ideológica, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Tudo o que sabemos sobre:

José Dirceuoperação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.