Moro amplia rede de perfis genéticos contra estupradores e assassinos

Moro amplia rede de perfis genéticos contra estupradores e assassinos

Piauí e Tocantins inauguram na próxima semana Laboratórios de Genética Forense, com apoio e investimentos do Ministério da Justiça e Segurança Pública

Pepita Ortega

07 de novembro de 2019 | 06h40

DNA. Foto: Pixabay

Mais dois estados vão poder solucionar crimes de homicídio e de violência sexual através do DNA. Na próxima semana, nos dias 11 e 13, respectivamente, dois Laboratórios de Genética Forense serão inaugurados no Piauí e no Tocantins, com apoio e investimentos do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

A ampliação da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (Ribpg) é uma aposta do ministro Sérgio Moro para o combate à violência no País.

Na avaliação de Moro, a Rede de Perfis Genéticos coloca ‘uma tecnologia eficiente para solucionar crimes com celeridade e segurança’.

Os laboratórios do Piauí e do Tocantins vão integrar o sistema.

Segundo o Ministério da Justiça, o investimento aproximado foi de R$ 3 milhões.

A meta do Governo Federal é interligar todo o país na RIBPG até o final do ano.

Atualmente, 18 estados mais Distrito Federal e Polícia Federal integram o Banco Nacional de Perfis Genéticos.

Os laboratórios armazenam mais de 50 mil perfis genéticos.

Esses dados já auxiliaram mais de 850 investigações criminais, incluindo a identificação do acusado pela morte de Rachel Genofre, de nove anos.

A menina foi estuprada e assassinada em Curitiba. O caso estava sem solução havia onze anos, mas, por meio da coleta de DNA de presos no Estado de São Paulo, foi possível localizar o criminoso.

Tudo o que sabemos sobre:

Piauí [estado]Tocantins Estado

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.