Ministro manda PF investigar filiado do PSDB por ameaças  a Dilma

José Eduardo Cardozo (Justiça) acolhe requerimento de deputado do PT contra advogado de Brasília acusado de postar nas redes sociais que vai 'arrancar' a cabeça da presidente

Redação

01 de setembro de 2015 | 20h06

Por Valmar Hupsel Filho, Julia Affonso, Ricardo Chapola e Talita Fernandes

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou a abertura de inquérito pela Polícia Federal para apurar ‘as ameaças proferidas contra a presidente Dilma Rousseff pelo advogado Matheus Sathler Garcia, candidato a deputado federal pelo PSDB do Distrito Federal em 2014’.

Em nota divulgada nesta terça-feira, 1, o Ministério da Justiça destaca que ‘o advogado chegou a divulgar um vídeo na internet em que ameaça promover um golpe militar e decapitar a presidenta da República’.

No vídeo,diz o texto do Ministério da Justiça, ‘o advogado se identifica e sugere à presidente que fuja do Brasil ou cometa suicídio’.

A decisão do ministro foi encaminhada ao diretor-geral da Polícia Federal, delegado Leandro Daiello Coimbra.

“As medidas legais serão aplicadas ao caso para que, realizada a investigação policial, possam ser tomadas as sanções penais cabíveis”, diz a nota do Ministério da Justiça.

Cardozo acolheu requerimento do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS). O parlamentar destaca que no vídeo que postou na internet, o advogado afirma que, caso Dilma não saia do Brasil até a véspera do dia 7 de setembro, ‘sangue vai rolar’ e que ‘com a foice e o com o martelo nós vamos arrancar sua cabeça’.

Paulo Pimenta foi à Polícia Federal na tarde desta terça-feira, 1, ‘para reforçar a necessidade de que o autor das ameaças seja ouvido diante da autoridade policial’.

“Ele (advogado) terá uma oportunidade para reafirmar as ameaças e esclarecer o teor de sua manifestação”, enfatizou Pimenta.

O deputado petista lembrou que, recentemente, em um caso parecido, um americano foi detido após ameaçar de morte o presidente Barack Obama. Nos Estados Unidos ameaças dirigidas ao Presidente são punidas com até 10 anos de prisão.

Segundo a assessoria de Paulo Pimenta, com a repercussão do episódio o vice-líder do PSDB, Bruno Araújo (PE), defendeu processo disciplinar contra Matheus Garcia no Conselho de Ética do partido. Nas eleições de 2014, Matheus foi candidato a deputado federal pelo PSDB do Distrito Federal.

José Eduardo Cardozo. Foto: Fábio Motta/Estadão

José Eduardo Cardozo. Foto: Fábio Motta/Estadão

Paulo Pimenta também notificou o Ministério Público Federal para que instaure uma ação penal contra Matheus Garcia ‘pelo delito de incitação ao crime’ e formalizou pedido para que o Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados adote medidas contra o advogado.

Matheus Sathler Garcia não foi localizado pela reportagem.

LEIA A INTEGRA DA NOTA DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

“O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou a abertura de inquérito pela Polícia Federal para apurar as ameaças proferidas contra a presidente Dilma Rousseff pelo advogado Matheus Sathler Garcia, candidato a deputado federal pelo PSDB do Distrito Federal em 2014.

O advogado chegou a divulgar um vídeo na internet em que ameaça promover um golpe militar e decapitar a presidenta da República. No vídeo, o advogado se identifica e sugere à presidente que fuja do Brasil ou cometa suicídio.

A decisão do ministro foi encaminhada ao Diretor-Geral da Polícia Federal. As medidas legais serão aplicadas ao caso para que, realizada a investigação policial, possam ser tomadas as sanções penais cabíveis.”

Tudo o que sabemos sobre:

justiça; josé eduardo cardozo

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.