Ministro da Justiça impõe nova pena de demissão a delegado da PF ligado a Cachoeira

Ministro da Justiça impõe nova pena de demissão a delegado da PF ligado a Cachoeira

Portaria com penalidade aplicada a Deuselino Valadares dos Santos, alvo de processo disciplinar por relações com notório contraventor Carlinhos Cachoeira, se junta a outra sanção máxima contra o policial, em vigor desde 2013

Redação

27 de julho de 2021 | 17h12

O prédio do Ministério da Justiça Foto: Divulgação

O Ministério da Justiça e da Segurança Pública julgou administrativamente o ex-delegado da Polícia Federal Deuselino Valadares dos Santos, impondo ao ex-servidor ligado ao contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, uma nova pena de demissão por improbidade administrativa. Deuselino já havia deixado a corporação após sofrer idêntica penalidade em dezembro de 2013.

A decisão sobre o processo administrativo disciplinar de Deuselino foi publicada no Diário Oficial da União na última quinta-feira, 22.

Deuselino foi um dos alvos da Operação Monte Carlo, que desmontou o grupo de Cachoeira em 2012. Na ocasião, os investigadores apontaram que o ex-delegado da PF foi cooptado quando chefiava a Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros da Superintendência da corporação em Goiânia.

COM A PALAVRA, O EX-DELEGADO

A reportagem busca contato com Deuselino Valadares dos Santos. O espaço está aberto para manifestações.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.