Ministério da Justiça fecha parceria com Nações Unidas para descapitalizar o tráfico

Ministério da Justiça fecha parceria com Nações Unidas para descapitalizar o tráfico

Secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora, destaca que ação conjunta resultará em subsídios para cerco a organizações do crime e redução da oferta de entorpecentes no Brasil

Rodrigo Sampaio, Especial para o Estado

13 de junho de 2020 | 10h00

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad/MJSP), vai criar um centro de excelência para a redução de oferta de drogas e fortalecimento da cooperação regional. O projeto, feito em parceira com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc) e com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), também visa o desenvolvimento de mecanismos para a elaboração de políticas de combate ao tráfico no país e nas fronteiras. 

MJSP terá centro de combate ao tráfico e oferta de drogas. Foto: Divulgação

Segundo informações do Ministério da Justiça, a criação do centro vai possibilitar a realização de pesquisas e análises de comportamento das organizações criminosas do Brasil, responsáveis pelo tráfico nacional e internacional de entorpecentes. As atividades do projeto também incluem a gestão de bens apreendidos.

De acordo com o secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora, a parceria trará avanços para a segurança pública do país. “Teremos subsídios para tomada de decisão nas políticas públicas de redução da oferta de drogas, em especial na descapitalização das organizações criminosas através da quebra do fluxo financeiro e do confisco de seus patrimônios”, afirma.

Por sua vez, a representante-residente da Pnud no Brasil, Katyna Argueta, destacou a importância da iniciativa. “A questão do tráfico de drogas ilícitas é um desafio às políticas sociais. Ela é transversal na Agenda 2030 e em vários Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), especialmente nos que se referem ao enfrentamento da pobreza, da desigualdade, das carências em saúde.”

Em 2019, o Ministério da Justiça passou a promover ações para reduzir a oferta de drogas, combater o tráfico e gerir recursos apreendidos em decorrência de atividades criminosas relacionadas a ilícitos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.