Ministério da Defesa sugere reunião entre técnicos das Forças Armadas e do TSE para ‘dirimir eventuais divergências’

Ministério da Defesa sugere reunião entre técnicos das Forças Armadas e do TSE para ‘dirimir eventuais divergências’

Documento foi intitulado 'diálogo interinstitucional em prol do fortalecimento da democracia brasileira' e indica recuo após sucessivos questionamentos dos militares ao Tribunal Superior Eleitoral

Rayssa Motta

15 de junho de 2022 | 20h07

Em ofício a Fachin, ministro da Defesa sugeriu reunião entre técnicos das Forças Armadas e do TSE. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, pediu nesta quarta-feira, 15, uma reunião entre técnicos das Forças Armadas e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Documento

O objetivo do encontro, segundo o ofício enviado ao ministro Edson Fachin, presidente do tribunal, é “dirimir eventuais divergências técnicas” e discutir as propostas apresentadas pelas Forças Armadas ao TSE.

O documento foi intitulado “diálogo interinstitucional em prol do fortalecimento da democracia brasileira” e sinaliza um recuo após sucessivos questionamentos das Forças Armadas à Justiça Eleitoral.

O general afirma que a reunião é necessária “para que se possa dar concretude ao diálogo proposto” pelo TSE. Em outro trecho, Oliveira afirma que o Ministério da Defesa não chegou a apresentar apontamentos próprios e que só reiterou as propostas das Forças Armadas – que, segundo o ministro, foram “entendidas como essenciais para fortalecer a segurança, a transparência, a confiabilidade e a auditabilidade do processo eleitoral”.

As Forças Armadas encamparam uma campanha que envolveu pedidos de informação e questionamentos constantes aos processos da Justiça Eleitoral. Ao longo os últimos oito meses, 88 perguntas foram enviadas ao TSE. Os militares reproduziram suspeitas, sem embasamento técnico, lançadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) contra o processo de organização das eleições.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.