Metralhadoras, sacos de dinheiro e esmeraldas apreendidas pela PF na operação contra ex-secretário de Paes

Metralhadoras, sacos de dinheiro e esmeraldas apreendidas pela PF na operação contra ex-secretário de Paes

'Rio 40 Graus' prendeu Alexandre Pinto, que comandou a pasta de Obras do Rio, por suposta propina nas obras do BRT Transcarioca e de recuperação ambiental da Bacia de Jacarepaguá

Luiz Vassallo, Julia Affonso e Constança Rezende

03 Agosto 2017 | 19h16

Foto: PF

Armas de grosso calibre, esmeraldas, sacos de dinheiro e obras de arte foram apreendidos na Operação ‘Rio 40 Graus’ – deflagrada nesta quinta-feira, 3 – que pôs na cadeia o ex-secretário de Obras do município do Rio de Janeiro, Alexandre Pinto. Ele é alvo de investigação sobre suposto pagamento de propina nas obras do BRT Transcarioca e de recuperação ambiental da Bacia de Jacarepaguá. Segundo a investigação, a propina solicitada às empreiteiras alcançou R$ 27 milhões na Transcarioca e pouco mais de R$ 9 milhões na Recuperação Ambiental da Bacia de Jacarepaguá.

+ Paes diz ‘não estar preocupado’ com eventual delação de ex-auxiliar preso

+ Lava Jato aponta ‘taxa de oxigênio’ também na Prefeitura do Rio

+ Ex-secretário de Paes recebeu propina em dinheiro, diz Procuradoria

Em balanço, a PF relata que, além das apreensões, foram cumpridos todos os nove mandados de prisão preventiva, um de encarceramento temporário, dois de condução coercitiva e 17 de busca e apreensão autorizados pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal do Rio. A PF não revelou os locais onde o armamento, o dinheiro e as pedras preciosas foram encontradas.

Foto: PF

Foto: PF

Foto: PF

Foto: PF

Foto: PF

 

O Ministério Público Federal narra que ‘o esquema de cobrança de propinas comandado pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) no Rio de Janeiro, com desvio de recursos das obras bilionárias realizadas no estado, funcionava tanto na estrutura do Estado do Rio de Janeiro, comandado pelo ex-governador Sérgio Cabral, com participação de secretários de estado como Hudson Braga e Wilson Carlos, assim como na Prefeitura do Rio, também comandada pelos membros do PMDB, com a participação do Secretário Municipal de Obras Alexandre Pinto da Silva’.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava Jato