Metodologia ágil: na contramão dos tradicionais modelos de negócios

Metodologia ágil: na contramão dos tradicionais modelos de negócios

*Leonardo Leão

07 de julho de 2021 | 02h00

A busca por soluções e ferramentas que possam otimizar e agilizar processos através de inovação é hoje o grande desafio das empresas mais avançadas e startups. Especialmente estas, precisam de mecanismos que acelerem e potencialize, em escala, seus produtos e tecnologias. O gerenciamento dos projetos pode ser simplificado e mais eficiente com o uso de ferramentas que já existem e que podem ser aplicadas em todo e qualquer perfil de empresa que pretenda melhorar a sua gestão de um modo mais rápido e flexível.

Leonardo Leão. Foto: Divulgação.

A metodologia ágil é um conjunto de boas práticas usadas para melhorar a performance de uma empresa, o tempo e a qualidade dos serviços prestados pelas empresas. O pressuposto é alcançar, por parte das equipes, entregas cada vez mais rápidas, com melhor qualidade e mais alinhadas com o propósito da empresa.

Há alguns anos, esse tipo de metodologia era mais comumente aplicado apenas para equipes de softwares e desenvolvedores. No entanto, especialmente agora, na era de ascensão das startups e da transformação digital, é uma metodologia adaptada para se encaixar em qualquer perfil, incluindo em equipes de administrativo, de marketing ou mesmo de pesquisa & desenvolvimento.

Dentre as simples e utilizadas atualmente em mais de 70% do Brasil e em outros países da América Latina Argentina, Bolívia, Chile e Colômbia e no México, estão a Scrun, Lean, Kanban e SMART. Implantar uma dessas metodologias de maneira eficaz requer um conjunto de princípios e práticas que já foram observados em iniciativas bem-sucedidas em todo o mundo.

Os programas possibilitam que as organizações se reequilibrem quando a força de trabalho está improdutiva e desmotivada, com baixa na qualidade e na entrega, ou deixando passar oportunidades, aproveitando as técnicas para ajudá-las a se tornarem mais colaborativas e unificadas e gerência melhor suas capacidades.

Embora as metodologias não prescrevam práticas obrigatórias, melhores resultados são observados nas empresas em que as lideranças são incentivadas a motivar seus funcionários na resolução de problemas.

Com base na cultura de Open Innovation (inovação aberta), as empresas estão buscando soluções inovadoras no mercado e as desenvolvemos junto às startups. Para otimizar seus processos e facilitar a busca de melhorias, as empresas compartilham estrutura, know-how, canais de mercado, rede de mentores, serviços contábeis e jurídicos, entre outros necessários para o pré-lançamento, lançamento e desenvolvimento sustentável das startups, reduzindo os riscos de inovação e aumentando o impacto comercial dos empreendimentos. 

*Leonardo Leão é CEO da Woli Ventures

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.