Mercado de trabalho e a transformação digital

Fabio Gabbay*

08 de agosto de 2020 | 04h00

Entender o impacto das tecnologias e aplicá-las nos negócios das mais diversas empresas é o grande desafio para os gestores. A transformação digital, ao mesmo tempo em que trouxe holofote aos executivos da área de TI, expôs um movimento interessante de desmistificação das tecnologias e o consequente alinhamento delas às áreas de negócios, fazendo com que profissionais de outros “departamentos” assumissem papéis importantes nessa busca por maior maturidade digital das empresas.

Das metodologias ágeis à Shadow IT (popularmente conhecida como TI invisível), as áreas de negócios passaram paulatinamente a assumir parte das iniciativas digitais e de transformação das empresas, ainda que o CIO (Chief Information Officer) /CDO (Chief Digital Officer) /CTO (Chief Technology Officer) responda pela orquestração delas.

A Tecnologia, portanto, se consolida como motor de inovação das empresas e as responsabilidades pela aplicação dela aparecem mais transversais e distribuídas entre as áreas. Desenhando um novo cenário: toda empresa no futuro será de tecnologia. Empresas de finanças passam a ser fintechs, empresas de logística, logtechs, empresas de saúde, healthtechs e, assim por diante.

Apesar das vantagens da tecnologia, os profissionais terão que se adaptar a este momento de um mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo), focar em um aprendizado contínuo pautado pela inovação e saber que a única constante é a mudança e, prontamente, estabelecer um mindset digital.

O desafio para as empresas será o de contar com profissionais mais preparados para o cenário atual, que não pensem somente de forma linear e tenham na tecnologia um meio para transformarem os negócios, prosperarem e gerarem competitividade em momentos de incertezas.

*Fabio Gabbay é sócio-fundador da FIND HR

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: