Medo de investir o seu dinheiro?

Medo de investir o seu dinheiro?

Pedro Marques*

22 de fevereiro de 2021 | 03h30

Pedro Marques. FOTO: DIVULGAÇÃO

Hoje, principalmente no Brasil, é muito comum que as pessoas tenham medo de investir dinheiro. De acordo a pesquisa “o bolso do brasileiro” realizada pelo Instituto Locomotiva para a Xpeed, quase metade dos brasileiros (46%) sentem ansiedade com as finanças e 47% ficam inseguros quando precisam lidar com contatos recebidos de instituições financeiras.

Acredito que isso aconteça por receio em perder dinheiro depois de tanto esforço para consegui-lo. Além disso, existe muita desinformação e falta de educação financeira, em que as pessoas comuns não tinham tanto acesso a informações sobre como investir de maneira segura e sensata. Porém, agora essa informação está muito mais acessível.

Além disso, vale alertar que existem muitos oportunistas prometendo coisas absurdas, o que leva diversas pessoas a perderem dinheiro e criarem um pensamento negativo sobre investimentos. Essa falta de informação faz com que as pessoas prefiram deixar o dinheiro em conta corrente ou numa poupança. Hoje em dia temos um boom legal de pessoas dispostas a mudar esse cenário.

Um grande problema em questão de educação sobre investimentos é que existem muitos oportunistas prometendo retornos inimagináveis. Por uma questão de falta de educação sobre o assunto, muitos acreditam nessas mentiras e acabam perdendo dinheiro, criando o mito em relação à bolsa: cassino. E não só oportunistas, mas muitos gerentes de banco recomendam certos investimentos que nem eles mesmos teriam coragem de investir.

Para quem está começando, o primeiro passo é criar uma reserva de emergência – que consiste em economizar uma quantia para manter seus gastos de seis a doze meses, caso ocorra algum imprevisto. É preciso conhecer o perfil do investidor, entender e estudar cada um dos investimentos recomendados.

*Pedro Marques é sócio-fundador da Bullseye

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.