Marketing digital: três tendências para 2021

Marketing digital: três tendências para 2021

Amanda Catoira*

20 de dezembro de 2020 | 03h00

Amanda Catoira. FOTO: DIVULGAÇÃO

Em decorrência da pandemia de coronavírus deste ano, o marketing foi um dos setores que mais precisou de adaptações para continuar desempenhando bem diante do “novo normal”. De fato, o início disso tudo nos trouxe uma série de incertezas e uma certa turbulência até encontrarmos o propósito das mudanças e o quão benéficas elas poderiam.

Passada esta fase inicial, grande parte dos profissionais do ramo puderam analisar que o novo cenário de vendas – em grande parte online – seria uma grande possibilidade de aprimorar estratégias de marketing a fim de, não somente não precisar lidar com uma queda brusca nas vendas, mas também aumentar os lucros de cada empresa/marca com o digital.

Logo, uma vez que essas estratégias obtiveram alto grau de assertividade, não haveriam motivos para não trazê-las para o ano de 2021, certo? E é partindo desta linha de raciocínio que torna-se possível apontar três – em meio a muitas outras – estratégias de marketing digital que prometem uma expansão ainda maior no próximo ano. São elas:

A expansão das estratégias de marketing digital

Entre as principais medidas de segurança do coronavírus está o ato de evitar aglomerações e/ou saídas que não sejam de urgência, logo, grande parte da população ainda está evitando ir e/ou passar muito tempo em lojas físicas, fazendo com que as estratégias de vendas online precisem se intensificar.

Desta forma, os profissionais de marketing estão tendo a oportunidade – e o desafio – de elaborar novas estratégias de marketing, visando que a maior parte das vendas passou a estar concentrada no digital. Medida esta que está sendo assertiva nos mais variados ramos e que, portanto, vem como uma das grandes apostas de intensificação para 2021.

Utilização máxima de recursos áudio visuais

Um exemplo de estratégia envolvendo o audiovisual que está sendo adotada – com maior foco – pelas mais variadas empresas é a aposta na divulgação por meio de influenciadores digitais.

Estes, por sua vez, exercem a influência por meio do audiovisual em suas redes sociais – Instagram, em grande maioria – e, tendo em mente que a maioria das pessoas passa grande parte do seu tempo navegando nesses sites – mais ainda, com o trabalho remoto e as limitações coletivas da pandemia -, fazer uma pré-seleção dos formadores de opinião que estão mais alinhadas com a proposta de cada produto e propor uma parceria, tende a ser uma das estratégias de marketing digital mais assertivas em qualquer cenário, mas, principalmente, em meio a uma pandemia.

Por fim, uma vez que todas essas medidas foram implementadas e bem sucedidas – assertivas em termos de vendas e de rendimento -, não vejo motivos para que não estejam em destaque e sejam ainda mais desenvolvidas durante todo o ano de 2021.

Aproveitamento máximo dos marketplaces

Com a falta de espaços em lojas e o comportamento do consumidor alternado pela compra online, o mercado de marketplace cresceu muito nos últimos anos. Em alguns países, como EUA e China, a maior parte das compras e contratação de serviços online já é feita por meio de marketplaces.

No Brasil, por sua vez, algumas grandes empresas já começaram a convidar seus parceiros para atuar pela plataforma, visto que ela traz benefícios para o dono do marketplace, que não precisa se preocupar com estoque ou a compra desses produtos, e também para o consumidor, que pode encontrar os produtos com mais facilidade e em grandes redes.

*Amanda Catoira, responsável pelo Marketing de Edel White no Brasil

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.