Mário de Oliveira Filho, candidato de oposição à presidência da OAB-SP, diz que seccional precisa de representante que ‘aja para colocar a advocacia paulista no patamar que ela merece’

Mário de Oliveira Filho, candidato de oposição à presidência da OAB-SP, diz que seccional precisa de representante que ‘aja para colocar a advocacia paulista no patamar que ela merece’

Advogado lança oficialmente a candidatura em almoço neste sábado; eleições estão marcadas para o próximo dia 25

Rayssa Motta e Fausto Macedo

06 de novembro de 2021 | 05h15

A menos de vinte dias das eleições internas da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), marcadas para o próximo dia 25, o advogado Mário de Oliveira Filho apresenta oficialmente a candidatura. Um almoço no restaurante Terraço Palestra Itália, na capital paulista, foi marcado neste sábado, 6, para selar o lançamento da chapa ‘Inovação e Futuro’.

“A Advocacia paulista é forte e pujante. Os quase 350 mil advogadas e advogados de São Paulo precisam ter um representante que olhe para as suas necessidades e que aja para colocar a Advocacia paulista no patamar que ela merece estar”, afirma o advogado.

O criminalista Mário de Oliveira Filho. Foto: Divulgação

O evento servirá para divulgar as propostas e os representantes da chapa.

Desde outubro, quando começaram os registros das chapas, os candidatos vêm jogando pesado na disputa pelo comando da OAB de São Paulo, a maior seccional do País. A campanha motivou representações na Comissão Eleitoral e provocou uma debandada de membros da atual gestão para chapas adversárias.

Ao todo, são cinco grupos da disputa:

  • Chapa 11 – Conexão e União, do atual presidente e candidato à reeleição Caio Augusto Silva dos Santos;
  • Chapa 14 – Muda OAB/AP, da advogada Patrícia Vanzolini;
  • Chapa 20 – A OAB tá on, da advogada Dora Cavalcanti;
  • Chapa 23 – Inovação e Futuro, do advogado Mário de Oliveira Filho;
  • Chapa 33 – Movimento OAB pra você, do advogado Alfredo Scaff Filho.

No próximo dia 25 serão escolhidos os membros da diretoria da OAB-SP e da Caixa de Assistência dos Advogados (Caasp), do Conselho Estadual e Federal e as diretorias das subseções. No ano passado, a entidade aprovou, já para as eleições deste ano, a obrigatoriedade da paridade de gênero e de cota racial mínima nas chapas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.