EXCLUSIVO: Marido da Marta, o ‘Belo Horizonte’, pediu mais de R$ 1 milhão para campanhas da senadora

EXCLUSIVO: Marido da Marta, o ‘Belo Horizonte’, pediu mais de R$ 1 milhão para campanhas da senadora

Empresário Márcio Toledo teria recebido dinheiro da Odebrecht nas campanhas de 2008 e 2010 da atual peemedebista; Fachin devolveu autos a Janot e ainda não determinou instauração de inquérito

Breno Pires, de Brasília, e Vitor Tavares, de São Paulo

11 Abril 2017 | 17h49

Marta Suplicy. Foto: André Dusek/Estadão

Marta Suplicy. Foto: André Dusek/Estadão

Marido de Marta Suplicy (PMDB) e responsável pela arrecadação de fundos nas campanhas da atual senadora, o empresário Márcio Toledo teria pedido, no total, cerca de R$ 1,05 milhões à Odebrecht, em duas ocasiões. Nas planilhas de propinas da empreiteira, Toledo tinha o codinome ‘Belo Horizonte’.

Os repasses, não contabilizados no âmbito das campanhas eleitorais de Marta, irrigaram os pleitos à Prefeitura de São Paulo, em 2008, e ao Senado, em 2010, quando a senadora ainda era filiada ao PT.

Apesar da delação, ‘Belo Horizonte’ e Marta ainda não serão alvo de inquérito neste caso. Devido à data em que os repasses teriam ocorrido, a pena máxima prevista para o crime e a idade dos delatados, o ministro Edson Fachin remeteu os autos de volta ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para que ele se manifeste sobre uma possível extinção da punibilidade.

‘Belo Horizonte’ foi delatado pelo ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedicto Barbosa da Silva Júnior e pelo ex-diretor Carlos Armando Pachoal. As doações teriam sido feitas por meio do setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht, o setor de propinas.

Em 2008, Toledo teria recebido R$ 550 mil. Na ocasião, Marta perdeu a eleição para o atual ministro das Comunicações, Gilberto Kassab. Já em 2010, a Odebrecht teria repassado R$ 500 mil para a campanha de Marta, que acabou se elegendo como senadora por São Paulo.