Marcos Valério, do Mensalão, pega mais 18 anos de prisão

Marcos Valério, do Mensalão, pega mais 18 anos de prisão

Empresário foi condenado pela Justiça Federal do Rio por corrupçao ativa e formação de quadrilha em suposto esquema de pagamento de propinas a procurador da Fazenda

Julia Affonso, Luiz Vassallo e Fausto Macedo

18 de abril de 2017 | 20h35

Marcos Vaélio. Foto: Celso Junior/AE

Marcos Vaélio. Foto: Celso Junior/AE

A Justiça Federal no Rio condenou o empresário Marcos Valério, emblemático personagem do Mensalão, a 18 anos e nove meses de prisão por crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha. A sentença é do juiz Vitor Barbosa Valpuesta, da 3.ª Vara Federal do Rio.

Segundo acusação do Ministério Público Federal, Marcos Valério teria repassado propinas ao procurador da Fazenda Glenio Sabbag Guedes – condenado na mesma ação a 22 anos de prisão. Também foram condenados dois ex-sócios de Valério, Rogério Lanza Toletino e José Roberto Moreira de Melo.

Marcos Valério já está condenado a 37 anos de prisão no processo do Mensalão – escândalo que abalou o primeiro governo Lula.

Nesta ação penal que pegou 18 anos de prisão, o empresário – que está preso desde novembro de 2013 – é acusado de ter pago ao procurador um total de R$ 3,6 milhões, em valores atualizados, entre 2003 e 2005. Os pagamentos foram identificados na CPI dos Correios, que deu origem ao escândalo do Mensalão.

Tolentino pegou 22 anos e sete meses de cadeia. Moreira de Melo, 14 anos e sete meses.

O juiz condenou o grupo ao regime fechado, mas permitiu a todos que recorram em liberdade.

Todos os condenados vão recorrer ao Tribunal Regional Federal da 2.ª Região. Eles negam a prática de ilícitos.

Tudo o que sabemos sobre:

Marcos ValérioMensalão

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.