Marco Aurélio sofre acidente doméstico e precisará passar por cirurgia no ombro direito

Marco Aurélio sofre acidente doméstico e precisará passar por cirurgia no ombro direito

Decano do Supremo Tribunal Federal 'segue em excelente forma física', diz médico; operação foi marcada para quarta-feira, 3

Rayssa Motta

01 de fevereiro de 2021 | 19h40

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal. Foto: Beto Barata/AE

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), vai passar por uma cirurgia no ombro direito na próxima quarta-feira, 3, no Hospital DF Star, em Brasília. De acordo com o boletim médico, a intervenção é para tratar ferimento sofrido em um acidente doméstico.

Documento

O ortopedista Marcus Montenegro, chefe da equipe responsável pela operação, informou que o ministro ‘segue em excelente forma física’.

“Por ser muito disciplinado na reabilitação, as chances de intercorrências são mínimas”, diz o médico.

Em setembro, o ministro já havia se submetido a uma operação no joelho direito após sofrer uma lesão no menisco. A intervenção foi feita pela mesma equipe.

Em razão da cirurgia, o decano não participará da sessão de julgamentos da próxima quarta. O STF não informou por quanto tempo ele ficará afastado das funções. Marco Aurélio foi um dos quatro ministros do tribunal que, em movimento pouco comum, se recusou a sair de férias e decidiu seguir trabalhando durante o recesso do judiciário – o que na prática esvaziou os poderes do presidente da Corte, Luiz Fux, para análise de casos considerados urgentes durante o plantão.

Após as férias coletivas, o tribunal abriu o ano judiciário de 2021 em solenidade nesta quinta-feira, 1º. Marco Aurélio acompanhou a cerimônia virtualmente. No plenário, estiveram, além de parte dos ministros, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.