Marco Aurélio diz esperar que seu nome não esteja na lista dos investigados da Receita

AO VIVO

Eleições: 2020: notícias, resultados e apuração do 2° turno

Marco Aurélio diz esperar que seu nome não esteja na lista dos investigados da Receita

Ministro do Supremo Tribunal Federal afirma que 'não tem nada a esconder' do Fisco

Rafael Moraes Moura / BRASÍLIA

26 de fevereiro de 2019 | 15h42

Ministro Marco Aurélio Mello. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, disse nesta terça-feira, 26, esperar que o seu nome não esteja incluído na lista da Receita Federal de contribuintes alvo de investigação por indícios de irregularidades tributárias, mas assegurou que não tem nada a esconder do órgão.

O comentário do ministro foi feito um dia depois de o Estadão/Broadcast revelar que a Receita incluiu a advogada Roberta Maria Rangel, mulher do ministro Dias Toffoli, presidente do STF, e a ministra Isabel Gallotti, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), entre contribuintes alvo de investigação por indícios de irregularidades tributárias. É a mesma apuração que também atingiu o ministro do STF Gilmar Mendes e sua mulher, Guiomar Feitosa.

“Espero que o meu (nome) não esteja”, disse Marco Aurélio a jornalistas, ao chegar para a sessão da Primeira Turma nesta tarde. “Não tenho nada a esconder”, completou.

Reação. Conforme informou o Estado no domingo, 24, o vazamento de dados sobre uma investigação tributária envolvendo Gilmar gerou um movimento entre congressistas e ministros do Supremo Tribunal Federal para discutir um projeto de lei com o objetivo de limitar os poderes de atuação da Receita.

Se concretizada, a mudança poderá causar impacto no modo como o Fisco tem cooperado com grandes investigações de combate à corrupção e lavagem de dinheiro, a exemplo da Operação Lava Jato.

Indagado pelo Estadão/Broadcast se apoia a limitação da atuação da Receita, Marco Aurélio respondeu: “Não, não, não. O vazamento (de informações) é que é ruim.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.