Marcelo Odebrecht formaliza seu afastamento de presidência do grupo

Preso desde junho, acusado de cartel e corrupção na Petrobrás pela força-tarefa da Lava Jata, medida foi tomada ontem, segundo nota da empresa; empresário se dedicará integralmente à sua defesa

Ricardo Brandt e Fausto Macedo

10 de dezembro de 2015 | 23h03

Marcelo Odebrecht está preso desde junho em Curitiba. Foto: Félix R/Futura Press

Marcelo Odebrecht está preso desde junho em Curitiba. Foto: Félix R/Futura Press

O presidente do grupo Odebrecht, Marcelo Bahia Odebrecht, formalizou seu afastamento da presidência do grupo, nesta quinta-feira, 10. Preso pela Operação Lava Jato, em Curitiba, desde 19 de junho, a decisão foi anunciada pela empresa, em nota.

“Passados quase 6 meses de prisão e tendo em vista o andamento de seu processo judicial, Marcelo Odebrecht decidiu ontem formalizar seu afastamento da Presidência da Odebrecht S.A., bem como do cargo de Presidente dos Conselhos de Administração da Braskem, Odebrecht Óleo e Gás, Odebrecht Realizações Imobiliárias e Odebrecht Ambiental.”

Para ocupar seu posto vago, o Conselho de Administração da Odebrecht S.A. formalizou a nomeação de Newton de Souza, que segue como diretor-presidente da Odebrecht S.A. e presidente dos Conselhos de Administração das empresas.

“A Odebrecht acredita que a injusta e desnecessária prisão preventiva de Marcelo será revogada, o que possibilitará que ele se dedique integralmente à sua família e à sua defesa nas ações penais a que responde. A Odebrecht confia que ao final dos processos judiciais em curso, a inocência de Marcelo Odebrecht será formalmente reconhecida.”

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.